Não, não viramos aquele tipo de site de notícias engraçadinhas ou sensacionalistas. Seguimos prezando pelo jornalismo sério, por mais que fatos como esse nos despertem a maior incredulidade possível. Ocorre que Luiz Felipe Scolari, o Felipão, técnico de futebol e aparentemente avesso à política, poderá vir a processar o governo do peemedebista Michel Temer, que comanda o Brasil desde agosto de 2016.

De acordo com uma informação revelada ainda na quinta-feira, dia 19, pelo jornal O Estado de S.Paulo, Temer prepara uma ação publicitária mais agressiva em defesa das suas ações. Nesta linha, a equipe do presidente buscará uma comparação entre a atual gestão e o governo da antecessora, Dilma Rousseff, ex-companheira de chama de Temer, que governou o Brasil entre 2011 e 2016.

É aí que Felipão entra na jogada - e de maneira negativa. A campanha publicitária governista será inspirada pelos acontecimentos da última Copa do Mundo, curiosamente disputada em território brasileiro. Sem convencer ou jogar bem durante toda a campanha, o Brasil decepcionou sua torcida e sequer chegou a disputar a grande final no Maracanã.

Na casamata da seleção canarinho estava Luiz Felipe Scolari, que, em 2002, havia triunfado e ajudado no pentacampeonato na Copa disputada na Ásia. Porém, em 2014, o técnico gaúcho sofreu um dos maiores golpes da sua carreira no incrível 7x1 favorável à Alemanha, na semifinal disputada no Mineirão. O jogo jamais foi - e dificilmente será - esquecido e inclusive integrará a campanha de Temer.

A ideia governista é traçar um paralelo mostrando que a gestão de Dilma era comparável ao Brasil de Felipão, enquanto o atual governo [VIDEO] trabalha com conceitos de reformulação e está reconduzindo o país ao progresso, tal qual o técnico Tite tem feito com a seleção desde que substituiu Dunga, na metade da temporada de 2016 - com Tite, o Brasil se classificou para a Copa do Mundo da Rússia com rodadas de antecedência nas Eliminatórias Sul-Americanas.

Os melhores vídeos do dia

Felipão, através de sua assessoria, comunicou que estará de olho na exibição dessas peças e que, dependendo do conteúdo apresentado, poderá acionar judicialmente os autores da propaganda. No caso, Temer responderia pelo fato.

"Se por algum motivo essa campaha usar a imagem do técnico de forma pejorativa, ou de alguma maneira que possa arranhar a figura do treinador, ele poderá acionar pública e judicialmente o governo de Michel Temer", comunicou a assessoria de Felipão em entrevista publicada pelo portal UOL nesta sexta-feira.

A ligação com o futebol não é rotineira nas campanhas políticas e, no sentido de buscar algo "novo", Temer [VIDEO] busca pegar carona no grande momento da seleção brasileira com Tite para tentar ganhar pontos para si. No presente momento, o presidente trabalha para barrar a segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o seu mandato. Ela será votada no plenário da Câmara dos Deputado no próximo dia 25, na quarta-feira.

No que diz respeito ao futebol, Felipão e Tite estão em caminhos distintos.

O primeiro segue fazendo um bom trabalho no Guanghzou, da China, mas as últimas notícias dão conta de que ele vai deixar o cargo ao final da temporada chinesa, que se encerra em novembro. Mesmo assim, o experiente treinador não deve assumir nenhum clube brasileiro em 2018.

Já Tite se prepara para disputar sua primeira Copa do Mundo. Nesta sexta-feira, ele fez a convocação para os amistosos contra Japão e Inglaterra, nos dias 10 e 14 de novembro, em Lille, na França, e na Inglaterra, respectivamente. Serão as duas últimas apresentações do Brasil antes do final do ano.