A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) recebeu de Carnelós a defesa de Temer em relação à denúncia. São os deputados que irão decidir autorizar ou não o andamento das acusações feitas no STF (Supremo Tribunal Federal).

Em relação às denúncias, o presidente Michel Temer disse que tudo isso se trata de uma grande armação e afirmou que as provas são forjadas. De acordo com Temer, a intenção é constituir um golpe no país e removê-lo do cargo. Além de Temer, Moreira Franco, da Secretaria Geral e Eliseu Padilha da Casa Civil entregaram na CCJ suas defesas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Eleições

Votação na CCJ

Um prazo de cinco sessões de plenário será aberto para que a Comissão de Constituição e Justiça realize a votação e então emita a decisão favorável ou contraria a continuidade das acusações.

Decisão final a respeito do andamento das denúncias acontece no plenário

Após essa etapa, a decisão final será tomada no plenário. É necessário ter apoio de no mínimo 342 deputados para que as acusações tenham andamento no Supremo Tribunal Federal.

Advogado de Temer critica Janot

A críticas proferidas pelo advogado de Michel Temer foram centralizadas em Janot, ex-procurador-geral da República.

Janot foi responsável por apresentar a denúncia contra Temer. Foi no último dia 17 que Janot deixou o cargo, pois o mandato de dois anos chegou ao fim. Carnelós disse que foi bom esse tempo de dois anos ter passado e Janot deixado o cargo. Ele afirmou, que agora, com a saída do ex-procurador, não há mais alguém que esteja disposto a agir contra o ordenamento jurídico e a norma constitucional para depor o presidente da República.

CCJ analisa

Agora que as defesas dos acusados entregaram a CCJ é preciso aguardar a análise das acusações. Durante o período de cinco sessões do plenário, o relator deverá entregar um parecer no qual poderá discordar ou concordar com o prosseguimento da denúncia.

Tempo para que titulares e suplentes se manifestem durante a fase de discussão

Suplentes e titulares que fazem parte da comissão terão 15 minutos para debater a respeito das acusações. Deputados que não fazem parte da CCJ também poderão falar. Apenas 20 deputados favoráveis a denúncia e 20 deputados contra poderão se manifestar, porém, eles não terão o mesmo tempo para falar que os membros da comissão.

Os deputados que não fazem parte da CCJ terão 10 minutos de fala. Líderes partidários também poderão debater na Comissão. Se os membros da Comissão julgarem necessário, eles poderão pedir mais tempo para análise do processo por pelo menos duas sessões plenárias antes de debater e votar a denúncia.

Lembre-se de deixar o seu comentário. Sua opinião é muito importante para a nossa equipe e sempre ajuda no diálogo.