Uma sessão realizada nesta quarta-feira (18), na Câmara dos Deputados, gerou grande polêmica e exaltou os ânimos entre os congressistas presentes na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. O clima ficou literalmente pesado e a sessão teve até mesmo, que ser suspensa no local em que estava sendo realizada.

Os ânimos ficaram acirrados, principalmente após ásperas discussões, como, por exemplo, entre o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, do Governo do presidente da República, Michel Temer, e o deputado Givaldo Carimbão, do PHS do estado de Alagoas.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Toda a confusão foi iniciada a partir do momento em que o deputado Givaldo Carimbão se recordou de uma exposição de arte em que uma imagem de Nossa Senhora teria sido explorada e causado grande indignação, além da enorme repercussão nas redes sociais e entre a sociedade civil.

O deputado Carimbão se dirigiu ao ministro da Cultura, Sérgio Sá, demonstrando grande contrariedade e revolta em relação ao episódio mencionado e afirmou, de modo contundente, que queria ver a mãe do ministro exposta “com as pernas abertas", em um tom elevado e provocativo.

Sessão conturbada

Após o momento tenso de grande confusão na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, o ministro da Cultura, demonstrando grande insatisfação, se levantou para que pudesse abandonar a sessão realizada. Exaltado, pediu ao parlamentar que tivesse respeito por uma mãe, que já é falecida. Houve um grande bate-boca na comissão.

Para que pudesse encerrar a discussão gerada, o presidente da comissão, deputado Alberto Fraga, do DEM do Distrito Federal, determinou que todas as ofensas fossem retiradas das notas taquigráficas.

O ministro da Cultura lamentou todo o ocorrido e afirmou que lamentava porque seria uma discussão que estava se estabelecendo.

O deputado Givaldo Carimbão ressaltou, durante a reunião, dirigindo-se Sérgio Sá Leitão que o governo não deveria financiar projetos culturais e mostras em museus que denegrissem imagens sacras, especialmente, por se tratar da fé de milhões de brasileiros. Recentemente, uma mostra cultural do Banco Santander em Porto Alegre (RS) gerou grandes críticas por parte da sociedade e repercutiu intensamente nas redes sociais, após causar grande polêmica, a partir de apresentar cenas de nudez.

Givaldo Carimbão foi contundente ao comentar sobre a profanação de imagens religiosas católicas nessas exposições e disse que que possui duas mães: Maria de Deus Gouvêa, que o gerou pelo ventre, e também Maria Santíssima, a Imaculada Conceição, e que qualquer desrespeito às imagens católicas seria um desrespeito a ele e a milhões de brasileiros.

Veja o vídeo de toda a discussão entre o deputado e o ministro da Cultura: