Circula atualmente no aplicativo para smartphones 'Whatsapp' uma notícia que alega que o deputado federal Jean Wyllys seria o diretor de um filme chamado 'Chorpus Christi'. Nesta produção, Jesus Cristo e todos os seus apóstulos são retratados como sendo gays.

Inicialmente, a notícia vinha somente em um texto simples, porém o factóide ganhou uma versão 2.0 que agora vem em uma embalagem mais sofisticada que inclui uma foto do parlamentar e vem ainda com o endereço do site em que supostamente a notícia teria sido retirada. Outro fato curioso deste upgrade é que o texto é creditado ao apresentador do SBT [VIDEO], Ratinho.

O fato é que existem muitas notícias recebidas pela internet e principalmente pelas redes sociais que recebem um tratamento que as fazem parecer serem verdadeiras.

A preocupação com as fake news é um problema muito sério que não pode ser ignorado por usuários de redes sociais e da internet de uma maneira geral.

O Facebook, em uma iniciativa para combater a disseminação das fake news, irá contratar por volta de mil pessoas por todo o mundo para atuarem no combate a essas informações falsas no ano de 2018, como foi noticiado no jornal 'O Globo' deste último domingo (8)

Mas nesta luta contra a disseminação de noticias falsas é importante que os usuários fiquem atentos aos indícios de que a informação recebida é falsa.

Tomemos como exemplo a notícia comentada no início deste texto. Basta o usuário se perguntar o porquê da informação tão impactante não ter sido noticiada em nenhum grande veículo de comunicação.

Outra forma de identificar este tipo de fraude é ficar atento aos erros grosseiros de português e também como o texto foi redigido.

E também usar ferramentas como o site da agência de reportagem e jornalismo investigativo 'Pública', que tem uma área destinada a checagem de notícias como esta que diz respeito ao parlamentar brasileiro. Esta sessão do site recebe o nome de 'Truco'.

Com a finalidade de checagem de fatos, existe também a agência Lupa, a primeira agência de checagem de fatos do Brasil, assim como o site 'detector de mentiras' e também o site 'aos fatos'. Como é possível ver, não faltam opções para a checagem dos fatos.

O que faz com que muitas pessoas acreditem em determinadas informações é o fato de que muitas vezes é mais fácil acreditar no que está sendo noticiado, por mais absurda que a informação possa parecer, desde que a noticia recebida venha ao encontro das crenças de quem quer acreditar na informação recebida.