Em uma das votações mais aguardadas entre os deputados nos últimos tempos, Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) foi considerado ausente mesmo estando bem próximo ao microfone da votação. Nesta quarta, os parlamentares votaram em maioria contra o prosseguimento da denúncia da PGR sobre Michel Temer [VIDEO], que seguirá normalmente na presidência.

Até por orientação do seu partido, Edmilson votaria a favor da denúncia e contra Temer. Mas ele foi considerado por Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, como um dos 25 ausentes na sessão. Só que Edmilson estava em Brasília e planejava, sim, dar seu voto.

O nome do parlamentar constava normalmente na lista dos inscritos do Pará, e ele teve o nome convocado em duas ocasiões.

Só que Edmilson estava dando uma entrevista à equipe da TV Câmara na porta do plenário e não ouviu o chamado nenhuma vez. No final das contas, as ausências foram favoráveis ao presidente, que se safou [VIDEO].

"O registro está feito, mas já tinha passado da hora do Pará. Peço desculpas, seu voto seria importante, mas não posso descumprir o regimento", comunicou Maia, que comandou a sessão de aproximadamente 12 horas nesta quarta-feira. Temer teve 251 votos favoráveis e viu a denúncia ser barrada.