2

Os dois maiores nomes para enfrentar o ex-presidente Lula em 2018, são o deputado Jair Bolsonaro [VIDEO] (PSC-RJ) e o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB).

De acordo com as últimas pesquisas realizadas pelo Datafolha, Doria e Bolsonaro disputam eleitores com características semelhantes de escolaridade e renda, por exemplo.

Os números da pesquisa apontam que o candidato Jair Bolsonaro possui 32% de votos, de famílias que recebem até dois salários mínimos, enquanto o candidato Doria possui um percentual de 31%, já as famílias com renda entre 2 e 5 salários o deputado possui um percentual de 46%, enquanto o prefeito de SP possui 39% das intenções de votos.

Como os dois prováveis candidatos a presidente do Brasil possuem um eleitorado semelhante, seria de grande valor uma aliança política para disputar a presidência da República. Não dividindo assim os votos entre os dois candidatos e fortalecendo uma mesma chapa.

Possibilidade de uma aliança

Em entrevista concedida a revista Época, o candidato e prefeito de São Paulo João Doria, quando questionado se faria uma aliança política com Jair Bolsonaro, respondeu que todo apoio é importante e será bem-vindo, ainda ressaltou que o deputado federal Jair Bolsonaro, apesar de ter ideias diferentes do ponto de vista do seu modelo de gestão, tem o seu respeito, por ser um candidato com um número expressivo de seguidores e que seu partido (PSDB) deveria aceitar o seu apoio.

Quando foi perguntado se ele faria campanha no mesmo palanque que Bolsonaro, o candidato respondeu que ainda era cedo para pensar nisso.

Os melhores vídeos do dia

“Ele é um candidato forte, respeitável, que merece ser olhado com atenção. Dividir o palanque é uma decisão para o início do ano que vem”, diz Doria.

O conselho de Silvio Santos

Durante o programa de televisão Silvio Santos, exibido no mês de junho, o apresentador e dona da emissora SBT, em uma conversa informal sugeriu a Doria que se aliasse a alguém que pudesse fazer frente à oposição, citando o nome de Jair Bolsonaro.

O apresentador ainda comentou que se fosse feita uma chapa de Joaquim Barbosa e Sergio Moro, a situação iria ficar muito difícil para os outros candidatos, mas que os nomes Jair Bolsonaro e João Doria juntos poderiam fazer uma frente nas próximas Eleições.

João Doria não se manifestou nem a favor nem contra o conselho de Silvio Santos, mas disse que tinha um padrinho político, o governador Geraldo Alckmin, e não iria trai-lo caso houvesse uma disputa interna para a candidatura à presidência.

Por enquanto tudo que se houve falar sobre os dois candidatos são apenas especulações, não se sabe ainda quais serão as alianças políticas para as próximas eleições, mas se sabe que a disputa será acirrada.

Os dois candidatos vêm ganhando força no cenário político a cada dia que passa, a população já está cansada de tanta corrupção e não se pode prever qual vai ser a decisão do povo nas urnas no próximo ano.

O voto de protesto vem ganhando muita força no Brasil e em outros países, nos últimos anos a política brasileira passou por muitos escândalos envolvendo seus governantes, isso fez com que o povo repensasse suas escolhas, resultando em muitos protestos.

Só nos resta esperar o início das campanhas e avaliar bem o perfil de cada candidato, para que o Brasil deixe de ser maltratado por seus políticos.