O juiz federal Sérgio Moro concedeu uma entrevista nesta terça-feira para o programa "GloboNews Entrevista", e nessa resolveu falar sobre a operação Lava Jato, pois o magistrado é responsável pelos julgamentos das investigações em Curitiba.

Moro foi o juiz que implementou o sistema de Delação premiada nas investigações do Brasil, onde os réus já condenados podem contar o que sabem sobre o esquema de corrupção em que participaram para reduzirem ou serem totalmente absolvidos de suas penas, mas um projeto tramita no Congresso Nacional e pode permitir este método.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

Sérgio Moro dá sua opinião

O juiz federal Sérgio Moro afirmou que este projeto é um absurdo, pois o mesmo admite que podem existir alguns equívocos neste procedimento, mas não deixa de ser muito eficiente, e o fato de condenados quererem colaborar é porque a investigação atingiu um ponto em que descobriu um grande esquema de corrupção estabelecido no Brasil.

Moro ainda ressaltou que tirar o direito de colaboração premiada dos presos é tirar o direito de defesa dos mesmos, e nas palavras do próprio juiz, a colaboração premiada é não só um meio de encontrar cúmplices de um criminoso, mas também um direito do próprio se defender.

Em uma conversa gravada entre o delator ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com o senador Renan Calheiros [VIDEO] (PMDB), ambos demonstraram apoio ao projeto de proibir a delação premiada, e Renan afirmou que não se pode fazer uma colaboração premiada para um presidiário, por que aí já estaria regulamentando a delação.

Sérgio Moro candidato?

Como diversas pesquisas vêm colocando o juiz Sérgio Moro como um possível candidato, e o mesmo recebe grandes intenções de votos por parte dos eleitores, o mesmo foi questionado se poderia se candidatar em 2018, porém, a resposta do juiz foi que não se encaixa na política.

Moro ainda falou sobre o fim da operação Lava Jato, que deve estar muito próximo, pois toda investigação tem um começo, meio e fim, e a Lava Jato não será diferente, mas o magistrado ressalta que isto não acabará com a corrupção, pois os casos vão continuar surgindo e exigindo uma maior atenção do judiciário.

Quando questionado sobre o caso do ex-presidente Lula, o juiz Sérgio Moro disse que não se sentia confortável para falar sobre um caso que ainda não foi resolvido, porque apesar de Moro ter condenado o petista em primeira instância [VIDEO] pelo caso do tríplex no Guarujá, Lula deve ser julgado em segunda instância.