Em uma reunião marcada por "mistérios" e extremamente reservada, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, se reúne na manhã desta segunda-feira (2) com o presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Vale ressaltar que a presidente da mais alta Corte de Justiça do País vem mantendo contato frequente com o senador da República, desde a semana passada.

O principal argumento para as conversas entre os presidentes se refere a um caso que pode alcançar uma grande repercussão em todo o Brasil; o caso de Corrupção envolvendo o senador afastado Aécio Neves. O político, por decisão majoritária da primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, totalizando em 3 votos a 2, foi afastado do cargo de senador, devido aos escândalos evidenciados em áudios captados pelo empresário Joesley Batista, dono de uma das maiores empresas na venda de carnes processadas em todo o mundo.

Entretanto, o senador afastado Aécio Neves logrou uma "pequena vitória" na Suprema Corte brasileira. Os ministros entenderam de forma unânime, por 5 votos a 0, de que não haveria a necessidade de prisão do político mineiro.

Reunião para apaziguamento

O principal objetivo da reunião para a manha esta segunda-feira é poder "apaziguar" a relação entre as instituições. Desde a última terça-feira, após decisão do Supremo Tribunal Federal pelo afastamento de Aécio Neves do Legislativo e determinar que ele passe a adotar o recolhimento noturno, o Senado Federal reagiu. Alguns senadores até mesmo admitiam que deixariam para o plenário da Casa a decisão final sobre o destino do mandato de Aécio Neves. Porém, alguns ministros do Supremo também criticaram a decisão da primeira Turma da Corte.

Na iminência de ocorrer uma decisão no Senado Federal em se contrapôr à determinação do Supremo, a presidente da mais alta Corte, ministra Cármen Lúcia, resolveu agendar um encontro com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, antes que a Casa Legislativa tome uma decisão que confronte o que fora decidido anteriormente no Judiciário.

A aposta está toda sendo voltada para o "diálogo".

Há uma previsão dentro do Supremo de que a ala majoritária de ministros da Corte acabe chancelando a possibilidade de o Senado decidir sobre o afastamento de parlamentares. Porém, restam algumas incertezas, já que o placar na Corte poderia ser muito apertado quanto a isso. Além da reunião com o presidente do Senado Federal, estaria prevista para a manhã desta segunda encontro entre Cármen Lúcia e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.