Em entrevista ao jornal espanhol El Mundo, neste domingo (22), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que vai se lançar candidato a presidente da República no próximo ano, pois, apesar de existirem milhares de "Lulas", somente ele sabe cuidar do povo pobre.

Indagado sobre a condenação em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, o ex-presidente voltou a afirmar que não existe nada que pese contra ele e que a condenação e a investigação sobre sua pessoa sobre o suposto crime de lavagem de dinheiro e também sobre o suposto apartamento no Guarujá (SP) são invenções da imprensa.

Lula acusa ainda a imprensa brasileira de ter apoiado estas manifestações populares de uma forma jamais vista no país. Iniciadas em 2013, elas foram o prenúncio do fim da administração petista. Após a eleição presidencial de 2014, a população começou a voltar-se contra o governo federal, tendo na figura da ex-presidente Dilma Rousseff seu alvo principal.

Contudo, Lula afirmou que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso viveu, em 2009, a mesma situação de desaprovação popular, porém, segundo Lula, o que favoreceu FHC à época é que ele tinha em Michel Temer, então presidente da Câmara dos Deputados, seu aliado, enquanto que a ex-presidente Dilma Rousseff tinha Eduardo Cunha.

De toda forma, Lula fez críticas contundentes sobre a forma como Dilma conduziu o país, sobretudo com relação às desonerações de impostos promovida pela ex-presidente, que, segundo Lula, prejudicaram demais os cofres públicos, fazendo com que a arrecadação caísse. "Quando ela tentou corrigir este processo, era tarde, pois o Senado não permitiu", afirmou Lula.

O segundo grande erro de Dilma, na opinião de Lula, foi ter promovido o ajuste fiscal, contrariando completamente seu eleitor, que havia reeleito a ex-presidente com a promessa de que os gastos do governo seriam mantidos, principalmente nas áreas onde o PT era reconhecidamente mais forte, ou seja, nos projetos sociais.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Lula Política

Lula afirmou também que, embora tivesse pensado em ter sido ele o candidato em 2014, não o fez, pois entendia que a Dilma tinha todo o direito de concorrer à reeleição, mas que não se arrepende do fato. "Não sou uma pessoa que tenha arrependimentos, e quero ser presidente novamente para provar ao mundo que o Brasil pode crescer", afirmou.

A forma para isto acontecer, segundo Lula, é voltar a investir em infraestrutura, e que o Brasil não depende da União Europeia e tampouco da China para dar início a recuperação econômica.

Para o ex-presidente, basta governar olhando para os mais pobres.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo