Há pouco menos de um ano da eleição para presidente, o Ibope divulga sua primeira pesquisa para a corrida presidencial e as notícias são péssimas para as pretensões eleitorais do prefeito de São Paulo, João Doria, que vê seu nome despencar novamente nas intenções de voto.

Em junho deste ano, as pesquisas apontavam Doria com 10% e visto com grandes chances de vencer a eleição, já que boa parte dos eleitores parece querer fugir dos já conhecidos políticos. Animado com o resultado, o prefeito passou a viajar pelo país, acreditando que com um discuso anti-Lula e se tornando mais conhecido, dispararia nas pesquisas seguintes.

Mas ocorreu exatamente o contrário, no final de setembro, uma pesquisa do Datafolha revelou que ele além de não crescer nas pesquisas, ainda tinha caído 2%.

Um mês depois, outra notícia para esfriar de vez a candidatura, Doria caiu para 4%, ou seja, em quatro meses, perdeu 60% das intenções de voto que antes eram suas.

Para piorar, a popularidade de Doria também diminuiu em São Paulo, em setembro, uma pesquisa revelou que havia caído de 41% para 32% o número de paulistanos que aprovavam sua gestão. A principal queixa é sobre o fato dele viajar constantemente para outros estados e não focar nos problemas da cidade.

Lula x Bolsonaro

A pesquisa Ibope revelou que se a eleição fosse hoje, o ex-presidente Lula 35% dos votos e o deputado federal Jair Bolsonaro 13%. Marina Silva ficaria em terceiro, com 8% dos votos. A pesquisa revela que Lula dispara na liderança e que Bolsonaro começa a deixar os adversários para trás em uma eventual disputa por um lugar no segundo turno.

Além de Lula disparado em 1º, Bolsonaro se consolidando em 2º e de Marina na 3ª posição, a pesquisa apontou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) com 5% empatado com o apresentador de TV, Luciano Hulck, que não tem partido. Doria aparece com 4% e o ex-ministro Ciro Gomes tem 3%.

Lula pode não ser candidato

Apesar de franco favorito, o ex-presidente Lula pode não ser candidato caso venha a ser condenado em segunda instância pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região. O julgamento só ocorrerá no ano que vem, mas não tem data marcada.

Doria já aceita ser vice

Após se encher de esperança para ser o candidato do PSDB à presidência [VIDEO] ou até mesmo de trocar de partido para poder concorrer, João Doria não descarta ser o vice de Alckmin em uma chapa 100% tucana. Mas aliados do governador preferem que seu vice seja de outro estado, o que se confirmado será mais um duro golpe no ego do prefeito de São Paulo, que sonhou com voos tão altos há tão pouco tempo