O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi um dos entrevistados da jornalista Mariana Godoy, na Rede TV, na última sexta-feira, 27, e não teve papas na língua, falando tudo que lhe convinha, mesmo que afetasse parte de seu eleitorado.

O programa 'Mariana Godoy Entrevista' conta com uma nova série chamada 'Presidenciáveis', cujo o objetivo é conversar com expoentes políticos que já demonstraram interesse em uma possível candidatura em 2018. É o caso de Bolsonaro, que deixou claro desde cedo sua vontade de disputar o pleito presidencial.

Durante a conversa, a 'estatização' para a China das empresas brasileiras, o assunto 'armas' e os homossexuais foram abordados.

Confira os principais trechos.

Estatização das empresas brasileiras para a China

Na visão de Bolsonaro, as empresas brasileiras não têm sido privatizadas e sim estatizadas para o Governo chinês . Tudo porque toda privatização (segundo o possível candidato), tem como vencedora a China. 'A China não está comprando no Brasil e sim comprando o Brasil', revela o político.

Outro ponto levantado por ele sobre a crise de empregos é que com a venda das empresas, os principais cargos de engenheiro entre outros, ficam a cargo dos chineses e, em breve, os brasileiros terão que se contentar com cargos subalternos e funções modestas.

'A China também está comprando o subsolo brasileiro', revelou.

Polêmica com os gays

Bolsonaro chamou muito a atenção ao falar dos homossexuais durante o programa. Em uma opinião controversa, o político afirmou que os [VIDEO] LGBT estão a seu favor [VIDEO]. Segundo eles, a maioria dos gays e lésbicas são a seu favor e votam nele.

E ainda questiona: 'Quem não tem um parente ou um amigo homossexual?', pergunta.

Em sua visão, ele entende a aceitação dos LGBT. Todos, na verdade, querem uma boa vida e isso só vira com emprego e uma economia ajustada, coisa que ele pretende fazer em seu governo. Por isso, a convivência pacífica entre os seres humanos no Brasil será muito fácil, quando a vida da maioria estiver ajustada.

Sobre ser da extrema direita, ele negou e ainda disse que não apoia em absoluto o neonazismo e ainda comparou o Reich ao governo do PT.

Sobre Lula, seu maior adversário para 2018, ele também fez uma afirmação: 'Não quero Lula preso e sim, Lula julgado [VIDEO]', disse à Mariana Godoy.

'Arma para todos'

O deputado, que é considerado da 'bancada da bala' [VIDEO] na Câmara, revelou que seu intuito é liberar o porte de arma a todos e que as armas são um instrumento de defesa do cidadão de bem. O político pretende igualar o Brasil aos Estados Unidos, quanto ao indivíduo poder portar sua própria arma de fogo para se defender.