O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, considerado um dos magistrados mais "polêmicos" que já passou pela mais alta Corte de Justiça no Brasil, resolveu se manifestar, de modo contundente, sobre a real situação de crise no país, principalmente, em se tratando de todas as preocupações para que algumas desavenças observadas entre os poderes da República, não acabem por tornar o Brasil, um grande alvo de uma suposta crise entre instituições que venha a macular a democracia brasileira.

O ex-ministro da Suprema Corte se manifestou efusivamente, em relação aos embates ocorridos entre os Poderes Legislativo e Judiciário.

Entretanto, vale ressaltar que o próprio Poder Executivo já se envolveu em diversas crises de relacionamento para com os outros poderes da República. Um dos mais recentes episódios que caracterizaram uma verdadeira troca de farpas entre Executivo e Judiciário, é a mais recente denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, que se dirigiu ao ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, através de duras críticas.

Alívio de Barbosa em relação ao caso 'Aécio Neves'

Uma das situações consideradas mais críticas, em se tratando de verdadeiros embates entre Poderes da República, se refere ao caso de Corrupção que envolveu o senador afastado Aécio Neves, do PSDB de Minas Gerais. De acordo com o ex-ministro Joaquim Barbosa, o fato de o Senado Federal não confrontar o Supremo Tribunal Federal (STF), com referência à suspensão do mandato de senador de Aécio Neves, acabou lhe proporcionando, um grande alívio, essa decisão de recuo por parte do Poder Legislativo.

O ex-magistrado da mais alta Corte brasileira foi ainda mais longe e enfático, ao afirmar que se prosseguisse essa ruptura transformada em crise entre Supremo e Congresso Nacional, seria o fim da democracia no Brasil, e além isso, poderia-se dizer que corresponderia a um início de um processo de venezuelização, segundo o ex-ministro. Em uma clara defesa da mais alta Corte do Brasil, Joaquim Barbosa afirmou ainda, que o Supremo Tribunal Federal teria a última palavra, em se tratando de casos como esse, que envolveu o mandato do senador afastado Aécio Neves, pois, político revogando decisão judicial é coisa de ditadura.

O ex-ministro deverá participar nesta quinta-feira (05), de uma palestra promovida pelo ex-presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, cuja organização ficou a cargo do Jornal Valor e do Banco Santander. Vale recordar que quando o ex-presidente americano visitou o Brasil, em meados de 2011, Barbosa não chegou a ser convidado pela ex-presidente Dilma Rousseff, para nenhum dos eventos que contavam com a participação do então presidente dos Estados Unidos.