Uma anotação nos arquivos contábeis encontrada no departamento de propinas da empreiteira Odebrecht parece complicar ainda mais a situação do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, principalmente, em relação ao apartamento de número 121. Vale ressaltar que esse imóvel é um apartamento vizinho ao do ex-mandatário do país, na cidade de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo.

Um rastreamento feito a partir de arquivos que continham uma equação matemática acabou resultando em uma solução que surpreendeu aos investigadores da Operação Lava Jato, que é considerada a maior de combate à Corrupção na história do país. O responsável pelos julgamento em primeira instância é o juiz Sérgio Moro, a partir da 13ª Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Equação 'secreta' nos arquivos da Odebrecht

Com o desdobramentos das investigações da força-tarefa da Operação Lava Jato, em se tratando do departamento de propinas da maior empreiteira do país, a Odebrecht, a Polícia Federal se debruçou sobre como poderia decifrar uma equação parecia a princípio muito complexa, mas que acabou sendo descoberta pelos investigadores.

Essa fórmula ou equação decifrada possibilitou que a força-tarefa da Operação Lava Jato conseguisse rastrear a compra em nome de um "laranja" do apartamento de número 121, que é um imóvel vizinho ao do ex-presidente Lula.

De acordo com as investigações, o registro associado a esse imóvel, através das descobertas no sistema de arquivos da empreiteira Odebrecht, correspondia à numeração "12.422" e "Prédio IL".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Lula

Os registros se referiam ao Instituto Lula, que pertence ao ex-presidente da República.

O registro encontrado, conforme dados apresentados na conta corrente da propina da Construtora Odebrecht com o PT e baseado na "Planilha Italiano", tornou possível aos técnicos e peritos da Operação Lava Jato, sediada em Curitiba, a demonstrarem perante a Justiça que a compra do apartamento localizado no Edifício Hill House, em São Bernardo do Campo, em nome de um "laranja" e vizinho ao apartamento residencial de Lula, foi adquirido através de dinheiro oriundo da máquina de fazer propinas da empreiteira.

A equação: ((3* 1057) + 8217 + 1034) = 12.422 constava nos arquivos cifrados do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. O mas intrigante é que estava no mesmo registro de valores do codinome "Amigo", atribuído a Lula. Ao conseguir decifrar a fórmula, a força-tarefa da Lava Jato pôde relacionar o apartamento ocupado por Lula à corrupção. De acordo com as conclusões dos investigadores, o valor R$ 12,4 milhões se refere à propina, conforme o resultado da equação.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo