O ex-presidente da República Luiz Inácio em Lula da Silva (PT), em entrevista à rádio Teófilo Otoni AM, da cidade de mesmo nome, em Minas Gerais, acusa o presidente Michel Temer [VIDEO] de ter gasto R$ 26 milhões, nas duas votações na Câmara Federal, para poder se manter no poder. Segundo o petista, foram gastos R$ 14 milhões na primeira votação, e R$ 12 milhões na votação realizada nessa quarta-feira (25), em que a Casa decidiu, por 251 votos a favor e 233 contra, não aprovar que o Supremo Tribunal Federal (STF) abra investigação contra Temer e seus ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência).

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Lula falava sobre os valores da transposição do Rio São Francisco que, segundo ele, quando estiverem totalmente prontas, vai custar R$ 9 bilhões, levando água para 12 milhões de pessoas.

Se autodefendendo, se era caro ou não o valor investido na obra, ele fez a afirmação que caro era o que o governo tinha gasto para evitar que a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) se tornasse uma ação na STF (Supremo Tribunal Federal).

Em pouco mais de 46 minutos de entrevista, o pré-candidato do PT atacou também o senador Aécio Neves (PSDB-MG), dizendo que foi o tucano o responsável por este acirramento político que está enraizado na sociedade brasileira atualmente. "Eu fui processado pelo Aécio por ter chamado ele de filhinho de papai”, durante um comício realizado em Belo Horizonte (MG), disse. Na sequência, ele afirma achar que o processo foi retirado pelo senador. Porém, segundo o petista, foi o tucano quem alimentou o ódio na campanha presidencial de 2014.

Em outra parte da entrevista, o mesmo Lula que ataca o parlamentar mineiro pela radicalização política, o defende no caso recente do afastamento de seu mandato pelo Supremo Tribunal Federal.

"Não acho correto um único ministro cassar um senador da República", afirmou. Para o ex-presidente, foi correta a decisão da corte de devolver o mandato, deixando que o Senado resolvesse a situação. "Se a Casa o absolveu, é um problema político da Casa, e ela vai pagar um preço por aquilo", completou.

Com relação às denúncias envolvendo sua pessoa e o PT, Lula afirmou que existe um pacto formado pelo Ministério Público, Polícia Federal e imprensa para persegui-lo. "São mais de 65 capas de revista contra o Lula, são mais de 25 horas do Jornal Nacional contra o Lula. E eu estou aqui, em todas as pesquisas que eles fazem eu estou em primeiro", declarou, se referindo às intenções de voto para a eleição para a Presidência da República em 2018.

Por fim, Lula [VIDEO] falou um pouco de sua caravana e aproveitou também para alfinetar seus candidatos, dizendo que eles só visitam as capitais. Ele afirmou que, se for eleito, vai trabalhar para que as regiões mais necessitadas, como o Vale do Mucuri (MG), tornem-se prósperas como a capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, e citou que, para isso, é preciso, em primeiro lugar, investir em educação.