Uma afirmação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao jornal espanhol "El Mundo" neste domingo (22) repercutiu nas redes sociais e no meio político. Ele acusou a ex-presidente Dilma Roussef de traição por não ter realizado o ajuste fiscal, conforme prometeu nas eleições de 2014. Segundo Lula, a petista "traiu o eleitorado que votou nela" e a reelegeu. Na sua opinião, deixar de lado a realização do ajuste fiscal foi apenas um dos erros cometidos por Dilma Rousseff na presidência.

Ele fez uma comparacão com um dos períodos do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Para Lula, o ano de 2015 teve muita semelhança com 1999, quando FHC tinha popularidade de 8% e o Brasil tinha quebrado três vezes, mas nesta época, o então presidente da Câmara, Michel Temer, ajudou o tucano a governar.

Ele lembrou que em 2015 Dilma tinha como presidente da Câmara Eduardo Cunha, que acabou barrando cada reforma que Dilma apresentou. Lula frisou ainda que foi o peemedebista quem tocou em frente um processo ilegítimo de impeachment. Lula comentou durante a entrevista ao jornal espanhol que o governo do PT tinha um inimigo em casa, se referindo ao então deputado Eduardo Cunha.

Para o ex-presidente, outro grande erro de Dilma, talvez o maior, foi a política de desoneração às empresas, momento em que o governo petista começou a perder a credibilidade. Segundo Lula, com essa política do governo Dilma, o país parou de arrecadar para dar aos empresários, e, em 2014, a saída de dinheiro era maior do que a entrada.

Na entrevista ao jornal "El Mundo", Lula também afirmou que não se arrependeu de não ter disputado as eleições em 2014, porque foi leal à Dilma e voltou a afirmar a intenção de disputar as eleições de 2018 [VIDEO] como candidato à presidência da República, pois quer "voltar a ser presidente para mostrar ao mundo que o país ainda funciona".

Para ele, o Brasil precisa ter de volta um governo que pense na maioria, e não apenas em algumas classes. O ex-presidente também falou na possibilidade de criar um referendo para revogar a maioria das medidas aprovadas pelo presidente Michel Temer (PMDB). Ele disse que faltam coisas básicas no Brasil, como como saneamento e tratamento de água.

Lula deixou que claro que ele é o único nome que conhece a realidade do povo mais necessitado do país. Disse saber como vivem essas pessoas e o que realmente precisam, por isso vai lutar para ser candidato e voltar ao comando do Palácio do Planalto. O petista declarou que uma condenação não vai apagar seu desejo de ser candidato, muito pelo contrário.