Na última segunda-feira, 2, o ex-presidente disse estar “estarrecido” sobre o resultado de nova pesquisa [VIDEO] Datafolha, na qual 54% dos brasileiros entrevistados afirmaram apoiar a prisão do petista e provável candidato à presidência da República em 2018. Durante o evento na cidade do Rio de Janeiro, Lula ainda deixou clara sua opinião a respeito do Ministério Público e da Polícia Federal. Para Luiz Inácio, ambos os órgãos mentem e desejam a prisão do político diariamente, mesmo que seja a partir de mentiras.

No mês de julho deste mesmo ano, o juiz Sérgio Moro decretou a condenação de Lula a nove anos e meio de cadeia.

O motivo alegado por Moro fora participação em corrupção passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo diretamente o caso do tríplex de Lula no Guarujá. Caso o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) – a corte que vigora a apelação das decisões do juiz Moro – confirme a sentença imposta pelo magistrado, o ex-petista poderá ser preso.

A condenação seria em virtude dos crimes anteriormente alegados, com total respaldo do Supremo Tribunal Federal (STF) que já autorizou a penalização provinda de segunda instância. Uma condenação como esta poderia barrar qualquer chance de candidatura eventual de Lula à presidência da República em 2018 – como é o planejado pelo petista.

As irritações de Lula e o desafio a Moro

Após se dizer estarrecido com a pesquisa da Folha de S. Paulo, Lula disparou contra a Polícia Federal, Ministério Público e toda a operação Lava Jato.

O ex-presidente afirmou que a PF mente ao dar entrada no inquérito, que o MP mente ao entrar com a denúncia e que Moro serve como um “bode expiatório”, afirmando que o juiz está predestinado “a não deixar que Lula retorne ao cargo de presidente”, afirmou o petista.

Ainda comentando as pesquisas que vinculam seu nome, o petista fez alusão à pesquisa sobre os possíveis candidatos à presidência da República para 2018. Na pesquisa em questão, Lula aparece em primeiro lugar nas intenções de votos, com 35% do eleitorado, ganhando com sobras em todos os cenários possíveis. Para o ex-presidente, a pesquisa não condisse com a verdade, afirmando que teria 40% das intenções de votos dos brasileiros, 5% a mais do que informou a realizada pelo Datafolha ao fim do mês de setembro.

Ao fim de sua fala, Lula ainda desafiou que o Ministério Público, Sérgio Moro ou a Polícia Federal apresentasse qualquer prova concreta de desvio de dinheiro relacionado ao seu nome.