Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso, protagonizaram um episódio deprimente, em se tratando de representarem a mais alta Corte de Justiça do país. Ambos adentraram em uma árdua discussão, que acabou repercutindo intensamente nas redes sociais. As discussões ásperas entre os dois magistrados chegou a precisar que a própria presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, tivesse que intervir para que evitasse algo ainda pior. A troca de ofensas entre os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso, ocorreu nesta quinta-feira (26), durante sessão em Plenário da Suprema Corte.

Troca de ofensas envolve a soltura de José Dirceu

O principal motivo que levou à uma verdadeira trocada de farpas entre os ministros Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso envolve discussões a respeito da soltura do ex-ministro petista e ex-homem-forte do Governo de Luiz Inácio Lula da Silva, José Dirceu. Barroso afirmou que Mendes teria "parceria com a leniência", diante dos crimes considerados como de "colarinho branco", em se tratando de autoridades envolvidas em esquemas de Corrupção. O ministro Barroso foi ainda mais longe, ao afirmar que Gilmar Mendes "não trabalha com a verdade".

A temperatura subiu às alturas e o bate-boca se intensificou. O ministro Gilmar Mendes respondeu contundentemente às acusações de Luís Roberto Barroso e afirmou que "não seria advogado de bandidos internacionais".

A crítica direta a Mendes por parte de Barroso, se refere à soltura do ex-ministro José Dirceu, que encontrava-se preso em Curitiba, cuja sentença havia sido determinada pelo juiz Sérgio Moro, titular da décima terceira Vara Criminal de Curitiba, no estado do Paraná e responsável pela Operação Lava Jato [VIDEO], em primeira instância.

Dirceu acabou sendo beneficiado e solto por decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, da qual Gilmar Mendes faz parte. A resposta de Mendes ocorreu em alusão ao papel de Barroso como advogado de defesa do italiano Cesare Battisti. Vale ressaltar que o criminoso italiano havia sido condenado por assassinatos na Itália e acabou angariando status de refugiado no Brasil. Entretanto, este mês o presidente da República, Michel Temer, revogou o status de refugiado de Battisti, o que pode acarretar em sua deportação mais adiante. Após o bate-boca entre os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou que "o Supremo Tribunal faz o julgamento" e encerrou a sessão. Na tarde desta quinta-feira (26), a sessão do Plenário do Supremo, se referia à extinção do Tribunal de Contas dos Municípios do estado do Ceará.

Assista ao vídeo do bate-boca entre os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso: