Um mistério ronda o sítio de um dos amigos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT). [VIDEO]Valmir Bartole acabou sendo assassinado com muita crueldade, em meio às muitas especulações de investigações sobre corrupção no Brasil. Valmir era um caseiro dedicado, mas nem isso impediu que ele não fosse morto.

O sítio em questão já estava na apuração da principal ação contra corrupção no Brasil, a Lava Jato. O que intriga a polícia agora é tentar entender quem se interessaria pela morte de um simples caseiro.

O mistério por trás do Sítio Bela Vista, propriedade do amigo de Lula

O sítio em questão é o Bela Vista, que fica em Manduri, no interior de São Paulo.

A propriedade está no nome do filho de um grande amigo de Lula, o ex-prefeito da cidade de Campinas Jacó Bittar e de seu filho, Fernando Bittar. A residência foi avaliada pela Polícia Federal e há a suspeita de que a propriedade fosse para fazer a lavagem de dinheiro.

Para a Polícia Federal, apesar de a propriedade estar no nome de Jacó Bittar, o sítio pode fazer parte de uma rede de corrupção. Isso porque não é de hoje que Bittar é conhecido por ser uma espécie de laranja do colega da ex-presidente Dilma Rousseff, que no ano passado passou por um grave processo de impeachment e acabou deixando o poder.

Fernando Bittar seria Laranja de Lula em esquemas de corrupção

Fernando, para os investigadores, também teria ajudado o líder do PT a comprar a propriedade em Atibaia (SP), que Lula garante não ser dele, mesmo com as inúmeras provas dadas ao longo dos anos.

O corpo do caseiro foi encontrado já sem vida na última quinta-feira (12).

Ele estava jogado em frente a uma das fazendas da família. Entender porque ele teria sido morto não está sendo nada fácil. Alguém estava tentando achar alguma coisa, mas os policiais não sabem bem o que era. Os móveis da residência foram completamente revirados, o que eleva ainda mais o interesse para saber o que aconteceu ali.

Assassino colocaria fogo em corpo de caseiro, mas não chegou a dar tempo

Valmir era um homem calmo e tinha 56 anos. Antes de ser morto, como mostrou uma análise do Instituto Médico Legal (IML), ele teria sido torturado. O seu corpo estava completamente marcado do espancamento.

Além disso, o cadáver de Bartole está coberto por óleo diesel, o que demonstra que o seu assassino queria ocultar o seu cadáver. Algo ocorreu nesse meio tempo para que o matador deixasse o local sem que antes cometesse o seu último ato cruel, que seria atear fogo na vítima.