Ao que parece, o pentacampeão com a Seleção Brasileira Ronaldo Fenômeno possui mais moral que o ex-senador da República por três mandatos e hoje vereador da cidade de São Paulo Eduardo Suplicy (PT). Pelo menos com o ex-presidente dos Estados Unidos [VIDEO] Barack Obama, que preferiu conversar com Ronaldo do que com Eduardo Suplicy em seu encontro fechado ao grande público realizado nesta quinta-feira (5) em São Paulo, evento este denominado Fórum Cidadão Global, promovido pelo jornal “Valor Econômico” em parceria com o Banco Santander.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Segundo informação publicada no jornal Folha de S.Paulo, para entregar uma carta ao ex-presidente americano, Eduardo Suplicy teve que suar a camisa. Ele teve que passar pelo subsolo do teatro onde Obama daria uma palestra e furar o bloqueio de agentes do FBI para poder entregar uma carta ao ex-presidente, na qual ele pediu para Obama dar sua opinião sobre o tema renda básica universal, sobre o qual o petista escreveu um livro.

Suplicy encontrou uma brecha entre os agentes para falar com Obama

Entrevistado pela Folha, Suplicy disse que encontrou uma brecha entre os agentes do FBI e não perdeu a oportunidade de se aproximar do ex-presidente americano para lhe entregar a carta.

“Eu disse a ele que gostaria muito de lhe entregar uma carta porque precisava saber a opinião dele sobre a renda básica universal”, afirmou Suplicy, que ainda garantiu que Barack Obama irá responder a carta, pois afirmou para ele próprio que fará isso.

Logo após entregar a encomenda a Obama, Suplicy foi puxado pelos agentes do FBI. Irritado, o vereador começou a gritar em inglês, “please, respect me, don’t push me” (‘’por favor, me respeite, não me empurre’’, em português) e disse que poderia se aproximar do ex-presidente, pois já havia sido senador da República e que ocupava o cargo de vereador na cidade.

Mesmo com os apelos, Suplicy foi afastado de Barack Obama e teve que se conformar em assistir à palestra do americano a uma boa distância.

Ronaldo recebido de maneira calorosa

Ao contrário do tratamento dado a Eduardo Suplicy, Ronaldo foi recebido calorosamente por Obama e pelos agentes do FBI. De acordo com testemunhas, Ronaldo entrou pelo mesmo local que o vereador petista tentou entrar. Ronaldo pôde conversar cara a cara com o ex-presidente e brevemente comentou sobre seus projetos sociais, sem sequer sem interrompido pela escolta americana.

Os responsáveis pela chefia da escolta da segunda visita de Barack Obama ao Brasil foram o delegado da Polícia Federal Edson Vale e o delegado geral da Polícia Civil, Júlio Guebert, que também estavam no encontro desta quinta-feira.