O que chocou a internet nessa última semana foi a polêmica cena do artista Wagner Schwartz no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), onde aparece nu, encenando com uma criança. A cena aconteceu no dia 26 passado, na estreia do 35º Panorama de Arte Brasileira [VIDEO], tradicional exposição bienal que aborda a arte no país e propõe reflexão sobre a identidade brasileira.

Nesta terça-feira (3) durante uma votação no plenário da Câmara Federal, o deputado João Rodrigues (PSD-SC) resolveu dar sua opinião sobre o assunto. O problema é que ele também já se envolveu em uma situação no mínimo constrangedora.

Discurso

O deputado João Rodrigues, na tribuna da Câmara, fez um discurso a favor da família tradicional brasileira, e quando citou o assunto da tal encenação, disse: "Eu não consigo acreditar que tem algum pilantra, algum vagabundo dentro desta casa que aplauda isso.

Se tiver, tem que levar porrada. Se tiver, tem que levar cacete. Bando de safado, bando de vagabundo, bando de traidores da moral da família brasileira."

Essas palavras geraram uma grande confusão entre deputados, que se arrastou pelo plenário, mas foi rapidamente contornada pelos mesmos.

Confusão

Teve empurrões e troca de farpas entre diversos parlamentares, alguns favoráveis com o discurso do deputado e outros contra, como, por exemplo, o deputado Diego Garcia (PHS-PR) chamou o artista Wagner Schwartz de pedófilo e disse esperar que ele fizesse a performance "na cadeia".

Já o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) afirmou que a performance é prestigiada em todo o mundo e tem o corpo como base da criação artística. Segundo o MAM, no evento aberto a visitantes, havia sinalização sobre a nudez na sala onde a performance ocorria.

Os melhores vídeos do dia

Polêmica envolvendo o deputado João Rodrigues

No dia 27 de maio de 2015, em uma exaustiva votação da reforma política na Câmara dos Deputados, o mesmo deputado João Rodrigues foi flagrado vendo vídeos de conteúdo adulto no celular. Não satisfeito com a situação, fez questão de compartilhar as cenas com colegas de plenário.

Perguntado sobre o ocorrido, ele afirmou que "nesses grupos de WhatsApp que eu tenho todo mundo tem, tem muitos amigos que mandam muita sacanagem”. Na época, o assunto teve uma grande repercussão, inclusive o deputado João Rodrigues alegou que ia processar o cinegrafista da emissora de televisão SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) que o filme assistindo vídeos adultos, mas não levou o processo adiante.