A Polícia Federal fez uma descoberta envolvendo o senador tucano Aécio Neves e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO] gilmar mendes. Segundo investigações, o senador e o ministro estavam mantendo um diálogo frequente através do aplicativo de mensagens "WhatsApp". O que causa espanto é que Mendes é o relator de quatro processos envolvendo o senador. No total, foram 33 ligações descobertas pela PF.

As ligações ocorreram entre os dias 16 de março de 2017 até 13 de maio. No entanto, investigadores não conseguiram descobrir o motivo das ligações e nem o conteúdo, pois o aplicativo é imune aos grampos da PF. Aécio é investigado por ter recebido propina do grupo JBS e se tornou alvo da Operação Lava Jato.

Apenas uma conversa envolvendo Mendes e Aécio foram analisadas pela PF e elas acontecerem por meio de telefone celular. O conteúdo revelou que Aécio ligou para Gilmar para tratar de uma votação que tramitou no Senado Federal. A conversa mostrava Aécio Neves falando para Gilmar "ajudar" na votação sobre abuso de autoridade e que ele poderia falar diretamente com o senador Flexa Ribeiro.

O site 'BuzzFeedNewsBR' divulgou o teor da conversa, veja abaixo Aécio Neves discutindo sobre um voto de um dos colegas do Senado. Na ocasião, Aécio estava afastado das funções públicas e Gilmar Mendes concordou em falar com Flexa sobre a votação.

Para justificar as 33 ligações, o advogado do senador Alberto Zacharias Toron disse que Aécio mantém conversas formais com o ministro do Supremo para tratar sobre reformas políticas.

A defesa do ministro Gilmar Mendes foi procurada para dar esclarecimentos [VIDEO] sobre o caso. No entanto, o Portal "Globo" não obteve nenhuma resposta.

O relatório da PF foi anexado ao processo que circula contra o senador no comando do ministro e relator dos processos da Operação Lava Jato Edson Fachin. Em 18 de maio, a PF apreendeu aparelhos celulares de Aécio que revelavam essas ligações nada comuns entre senador e ministro do Supremo durante a Operação Patmos.

Aécio diz ser 'vítima' de emboscada

O senador se afastou do cargo desde o mês de setembro após decisão da Suprema Corte. No entanto, em votação no Senado Federal, Aécio conseguiu voltar para suas atividades públicas e avaliou que irá "provar inocência". O senador disse que foi vítima de uma "ardilosa armação" e mostrou-se feliz pelo Senado derrubar o afastamento. Aécio teve 44 votos favoráveis para conseguir a vitória.