O Palácio do Planalto divulgou nota à imprensa neste sábado (28) informando que o presidente Michel Temer foi submetido à intervenção cirúrgica, sem intercorrências, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para desobstrução uretral, através de ressecção da glândula do colo vesical.

A nota explica ainda, que o presidente passa bem e que o quadro de sua saúde, que apresentou problemas na quarta-feira (25), se tratava de retenção urinária por hiperplasia benigna da próstata. Michel Temer, que se encontra internado na unidade semi-intensiva deverá receber alta do Sírio Libanês nesta segunda-feira (30).

Sírio Libanês dá continuidade a tratamento iniciado em Brasília

Para continuar o tratamento da sondagem [VIDEO] vesical em Brasília, que detectou obstrução urológica no aparelho urinário, o presidente Michel Temer internou-se nesta sexta-feira (27) à noite no Hospital Sírio Libanês.

Michel Temer passou mal na quarta-feira e recebeu os primeiros socorros da equipe plantonista do Departamento Médico do Palácio do Planalto.

Os médicos desse setor encaminharam o presidente para exames e tratamento no Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB), de onde Temer recebeu alta no mesmo dia, seguindo com sua esposa Marcela Temer para o Palácio do Jaburu.

Na sexta-feira, o Palácio do Planalto informou, via Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, que o presidente Temer se encontrava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para reavaliação da saúde e continuidade do tratamento urológico iniciado em Brasília.

Médico que assiste Temer acompanhou sua saúde com equipe do Hospital Militar

Nesta instituição, Temer, de 77 anos, vem sendo assistido pelo médico Roberto Kalil Filho, que cuidou dele recentemente na instituição, por ocasião de um check-up.

Os melhores vídeos do dia

Kalil também esteve em contato com equipes médicas de Brasília, na quarta-feira, acompanhando o estado de saúde desse que é um de seus mais ilustres pacientes.

Quando se sentiu mal, o peemedebista aguardava o início da sessão na Câmara dos Deputados para votação do parecer do deputado federal Bonifácio de Andrada (PSDB/MG), favorável ao arquivamento da denúncia da Procuradoria-Geral da República, na qual Michel Temer estava sendo acusado de ter cometido os crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa. Por 251 votos contra 233 e duas abstenções, a Câmara arquivou o processo até o final do mandato do presidente.