Um dos mais atuantes procuradores da República, no âmbito da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, se pronunciou, ao tecer duras críticas ao Governo do presidente da República, Michel Temer. O procurador Carlos Fernando faz parte da força-tarefa que está sediada em Curitiba e que conduz os trabalhos da Operação Lava Jato, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal do Paraná.

Vale ressaltar que os trabalhos são comandados pelo juiz federal Sérgio Moro. A manifestação do procurador Carlos Fernando ocorreu, por meio das redes sociais em que um dos principais representantes do Ministério Público Federal juntamente à maior operação de combate à Corrupção na história contemporânea do país, pôde externar toda a preocupação referente a grandes "perigos" e "ameaças " que rondam a Operação Lava Jato.

Graves ameaças do governo Temer

Santos Lima resolveu abrir o "jogo" e revelar o que pensa sobre o atual momento e a conjuntura no cenário político brasileiro e em relação ao Poder Judiciário no país. De acordo com o procurador, que é um dos principais integrantes da força-tarefa de investigação da Lava Jato, a operação estaria totalmente ameaçada, já que segundo ele, em nenhum outro momento anterior, a Operação Lava Jato estaria tão ameaçada, quanto agora, escreveu o procurador com letras maiúsculas em seu perfil numa rede social.

O comentário de Carlos Fernando veio acompanhado de um compartilhamento por parte dele, em se tratando de uma reportagem a respeito de um parecer, em que o governo de Michel Temer, através da AGU (Advocacia-Geral da União), recomenda ao Supremo Tribunal Federal (STF), que possa atuar, de modo que venha a revisar a possibilidade de ocorrer prisões, após a condenação em segunda instância.

O procurador Carlos Fernando foi ainda mais longe e enfaticamente se manifestou, ao afirmar que o Governo Temer estaria fazendo pouco a pouco, o que o Governo Dilma queria, porém, não conseguiu: destruir a Operação Lava Jato e toda a esperança que ela possa representar. Em uma crítica direta ao presidente da República, Carlos Fernando dos Santos Lima, foi contundente, ao dizer que após a última decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), seria compreensível, as tentativas da Advocacia-Geral da União, a mando do presidente Michel Temer, em tentar reverter a decisão da prisão, após condenação em segundo grau, já que não haveria mais oposição das ruas às tentativas de acabar com o pouco conquistado.