O senador Aécio Neves é também presidente do PSDB, um dos partidos com maior influência em todo o Brasil. Se for analisar o número de deputados federais e senadores, o PSDB só perde para o PMDB, e, por isso, o partido quer manter sempre uma integridade transparente para a população.

Aécio foi citado na delação do dono da JBS, Joesley Batista, acusado por ter pedido R$ 2 milhões em propinas para o empresário com intuito de conseguir se defender das acusações com esse dinheiro. A conversa telefônica entre os dois foi divulgada. Após isso, o senador pediu afastamento da presidência do partido.

Exigência do PSDB

Aécio Neves está afastado do cargo desde maio deste ano, mesmo mês que o senador foi impedido de sair de casa à noite e também teve seu passaporte retido.

Após uma votação feita pelos senadores, em uma parceria com o PMDB, Aécio conseguiu voltar ao cargo e ter seus direitos de volta. Agora, deseja retomar a presidência do PSDB novamente.

A cúpula dos tucanos faz uma exigência para o presidente afastado Aécio Neves, que é para que renuncie ao maior cargo do partido. O atual presidente provisório, senador Tasso Jereissati [VIDEO], e o restante dos integrantes do partido desejam que Aécio não fique mais na presidência para manter a boa aparência de seriedade do partido e não ter um investigado no comando.

Aécio dá declaração sobre acusações

A acusação contra Aécio foi feita pela Procuradoria-Geral da República. Na ligação gravada com o empresário dono da JBS, Joesley Batista, o Aécio Neves usou um linguajar pouco exemplar e pede a quantia de R$ 2 milhões, dinheiro que já havia sido solicitado pela irmã do senador e ele apenas reforçou o pedido.

Aécio explica a acusação pedindo desculpas pelo linguajar utilizado durante a ligação, mesmo sendo uma conversa particular entre ambos, mas agora recorre na Justiça para que se livre da acusação.

Favor ao Michel Temer

O presidente da República, Michel Temer, é um dos líderes do PMDB e se reuniu para um jantar com o senador Aécio Neves para fazer o grande acordo com o para se livrar o peessedebista da acusação. Juntando as duas maiores forças no Congresso Nacional, o PMDB e o PSDB, Michel Temer conseguiria se livrar fácil da sua acusação quando passar na Câmara dos Deputados.

Por isso, o acordo foi feito para livrar Aécio Neves e Michel Temer de suas respectivas denúncias atualmente. O PSDB aguarda para esta terça-feira (24) a resposta sobre renúncia de Aécio à presidência do partido.