Nesta quarta-feira, 25 de outubro, o presidente da República, Michel Temer, foi levado ao Hospital do Exército, localizado na cidade de Brasília. Em comunicado oficial à imprensa, através de nota, o Palácio do Planalto informou que ele está passando por exames por estar em um tratamento, apesar do diagnóstico propriamente dito não ter sido divulgado. A principal suspeita, nesse caso, é que o presidente esteja passando por um quadro de aumento benigno de próstata.

A saúde do presidente

Atualmente com 77 anos, que completou mês passado, o presidente Temer provavelmente está passando por um problema normal em homens com mais de 70 anos, segundo especialistas da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia).

A probabilidade de homens nessa idade passarem por problemas na próstata através de uma retenção urinária é de aproximadamente 10%.

Essa é a conclusão de provável diagnóstico por especialistas, com base nas informações divulgadas [VIDEO] pelo Palácio do Planalto. Afinal, ter a próstata aumentada e, consequentemente, obstrução da uretra, é uma situação comum em homens idosos. Esse quadro todo provoca dificuldade para urinar.

Com relação a possível câncer

O presidente passa por um quadro médico que não tem absolutamente nada a ver com câncer propriamente dito, e se a hipótese dos especialistas for correta, o quadro do presidente é classificado como “hiperplasia benigna”. Nesse caso, a solução para o problema de Temer é relativamente simples, bastando esvaziar a bexiga fazendo a utilização de uma sonda.

Os melhores vídeos do dia

Segundo o Palácio do Planalto, o presidente passou por um procedimento classificado como “sondagem vertical de alívio”, e isso se encaixa perfeitamente com o possível diagnóstico de hiperplasia benigna. Existem dois possíveis cenários, no primeiro, o paciente já pode conseguir voltar a urinar no mesmo momento, mas no segundo, a sonda pode permanecer com o paciente por dias. Mas o mais provável no caso em questão é que o presidente receba alta ainda hoje, pois os médicos provavelmente acreditam que o problema já foi resolvido.

A maioria dos pacientes tendem a voltar a urinar normalmente após o procedimento com a sonda, porém, se a sonda não resolver o problema o quadro pode se complicar, e o tratamento para próstata aumentada pode se dar através da administração de medicamentos ou, em último caso, cirurgia.

De qualquer maneira, o termo “obstrução urológica” também pode significar outros problemas, afinal, trata-se de um termo genérico dentro do vocabulário dos profissionais da área da saúde. A obstrução pode estar em qualquer lugar das vias urinárias do presidente, incluindo rins, uretra, bexiga, etc.

As perspectivas mais pessimistas consideram a possibilidade de haver um possível tumor ou um sangramento causado por coágulo, mas dúvidas como essa somente poderão ser sanadas através de um comunicado oficial [VIDEO] com um diagnóstico.