O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do DEM do Rio de Janeiro, ficou literalmente surpreso com uma ação desempenhada pelo presidente da República, Michel Temer. Vale ressaltar que ambos têm atravessado momentos conturbados no cenário político brasileiro, especialmente, em se tratando do presidente da República, que enfrenta uma segunda denúncia que irá ser analisada pelo Plenário da Câmara dos Deputados, presidida por Rodrigo Maia.

Na semana passada, o presidente da Câmara havia criticado duramente o que ele teria chamado de manobra por parte do Palácio do Planalto, em se tratando de uma medida provisória que não possuía respaldo por parte do Governo federal, para a aprovação.

Entretanto, para que conseguisse acalmar os ânimos que se encontravam demasiadamente acirrados entre o Planalto e a Câmara Federal, o governo acabou autorizando que ocorresse uma substituição de uma medida provisória, por um projeto de lei apresentado pelo deputado Pauderney Avelino (DEM-AM).

Telefonema do presidente da República

Para que conseguisse tentar uma verdadeira aproximação com o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia, Michel Temer tomou uma atitude que acabou pegando o deputado carioca de surpresa. Diante da tensão vivenciada e a relação, de certa forma, desgastada entre os dois, nesta quinta-feira (19), o presidente Temer resolveu entrar em contato diretamente com Maia. Ao telefonar para o presidente da Câmara Federal, Michel Temer agradeceu todo o empenho por parte do parlamentar, em relação a um projeto de lei que aumenta o poder de fogo da Comissão de Valores Imobiliários (CVM) e também do Banco Central do Brasil.

Esse projeto de lei aprovado, tem como objetivo, punir eventuais crimes que venham a ocorrer no sistema financeiro do país. A proposta em questão permite que o Banco Central e a Comissão de Valores Imobiliários possam selar acordos com empresas e bancos, de modo que reduzam as punições, contando que colaborem substancialmente com as investigações. Após a aprovação dessa lei que poderá coibir crimes de Corrupção relacionados ao sistema financeiro nacional, o texto-base deverá prosseguir diretamente para apreciação no Senado Federal. O projeto passou na Câmara, com uma votação expressiva de 197 votos favoráveis e 60 contrários, além de seis abstenções.

Durante o telefonema de Temer a Maia, as impressões nos bastidores da política, dão conta que o mandatário do país esteja confiante em vencer a votação e derrotar a segunda denúncia contra ele, formulada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Vale lembrar que Temer foi acusado pela prática de crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça.