Michel Temer chegou a assustar os brasileiros na última semana por conta de uma internação às pressas para fazer um alívio do sistema urológico, já que ele apresentava um desconforto absurdo prestes a uma importante votação na Câmara que poderia ao final do processo destituí-lo do cargo público máximo do Executivo.

Durante a sessão da Câmara que votaria a segunda denúncia em seu desfavor, ele passou mal e foi encaminhado às pressas para o Hospital do Exército de Brasília, onde após alguns exames foi constatada a obstrução do sistema urinário e um pequeno procedimento cirúrgico foi feito para aliviar as dores do presidente.

Porém o procedimento era apenas paliativo. Nesta sexta-feira, baixada a poeira sobre as denúncias, já que o relatório que pedia a suspensão da denúncia foi apoiado pela maioria dos deputados, Temer voltou ao hospital, desta vez em São Paulo, para exames mais detalhados.

Segundo seu médico, Roberto Kalil, entretanto, fez uma revelação que chocou todo o Brasil. Ele chegou a acreditar que o presidente havia morrido e por um motivo muito inusitado [VIDEO], como contou o profissional de saúde à revista Veja.

Médico acreditou na morte de Michel Temer

No final da tarde de sexta-feira, 27, o presidente foi encaminhado ao Hospital Sírio-Libanês, onde ficou na unidade de terapia semi-intensiva e durante o trajeto até o hospital, o médico não conseguiu por uma hora falar com ninguém que assessorava ou monitorava Temer.

Neste momento ele pensou o pior e acreditou que o presidente do Brasil havia morrido.

Já no hospital, segundo os médicos, foi constatado um aumento da próstata do presidente. Após uma análise mais precisa, identificou-se que este aumento havia causado uma retenção urinária que causava extremo desconforto ao homem público. O aumento da próstata também foi avaliado como benigno e o órgão precisou ser raspado para voltar ao seu volume normal e não mais prejudicar o presidente.

Temer é operado novamente

Na sequência, o presidente então foi levado para a sala de cirurgia e passou pela operação. Segundo Kalil, após o procedimento, o presidente está 'clinicamente muito bem' e já deve ter alta na próxima segunda-feira, 30, mas retomar suas atividades presidenciais, apenas no dia 1°, quarta-feira, depois de repousar o suficiente para voltar ao trabalho.

O presidente também está com uma sonda urinária, mas ela deve ser retirada no próximo domingo, 29.

Cabe lembrar que há cerca de 7 anos Michel Temer já havia sido operado da próstata e segundo o médico do mesmo hospital, Miguel Srougi, [VIDEO] é comum este aumento e também um sangramento do órgão em pacientes que sofrem tal cirurgia da próstata.

Comente!