Neste último fim de semana, uma reportagem do jornal Correio Brasiliense chamou a atenção dos obcecados pela política do país das redes sociais. Tudo começou com a frase: 'É a economia, estúpido!' a mesma que 'viralizou' nos Estados Unidos na década de 90, como marketing eleitoral. Porém, o que era primordial no exterior sem soma de dúvida se tornou cada vez mais distante das pesquisas de opinião pública no Brasil. Essa foi à conclusão do constitucionalista, presidente Michel Temer [VIDEO] ao comentar com aliados ao externar sua baixa popularidade.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Na oportunidade, Temer argumentou que tempos atrás a ideia de um bom Governo era vinculada ao controle satisfatório da economia, ou seja, tudo era interpretado conforme os índices econômicos.

Se a inflação fosse controlada a gestão do presidente era positiva aos olhos dos consumidores. No entanto, os tempos mudaram, pois segundo o peemedebista mesmo com a geração de empregos ele não ganhou popularidade, comentou após a divulgação de percentuais insatisfatórios ao deputado e amigo, Paulo Pereira da Silva (SP), dirigente do Partido Solidariedade.

A conversa ocorreu um dia antes da Câmara dos Deputados afastar definitivamente a continuidade da denúncia contra o presidente, o qual foi denunciado pelo Ex-Procurador Geral da República, [VIDEO] Rodrigo Janot, desta vez, pelos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça.

De toda sorte, Temer aparentemente demonstrou descontentamento com o seu mandato, uma vez que, mencionou todos os títulos de propriedade rural as quais em sua gestão, foram entregues desde meados do ano, porém lembrou-se que nem assim, obteve mais apoio e continuou na casa dos 3% de popularidade.

Entretanto, um conselho foi passado ao presidente pelo amigo, Paulinho da Força que resolveu incentivá-lo a participar de visitas ao eleitorado mais humilde, aqueles que residem na "roça", mas, não poderá estar bem vestidos, na verdade, deverá visitá-los sem a gravata a sem o paletó, alertou o deputado do Partido Solidariedade.

O parlamentar alertou Temer que essa poderia ser a saída para reverter a sua posição junto aos brasileiros, com relação a popularidade. Ademais teria que ser realizada com extrema urgência. Segundo o deputado, não adianta ficar só em "eventos com ar condicionado". Imediatamente, o peemedebista entendeu o recado e convocou o parlamentar para ajudá-lo com a caracterização e o agendamento das visitas aos assentamentos.

O esforço de Michel Temer para quebrar a barreira de um dígito vem acompanhado de ofensivas [VIDEO] projetadas nas redes sociais. Ou seja, até uma foto do peemedebista ao lado de seu animal de estimação, um cachorro chamado Thor, a qual foi postada no Twitter, na última semana foi criticada.

Na verdade, a imagem foi intitulada como ‘Domingo de Carinho’, na legenda a mensagem do peemedebista comentava que a jornada era difícil, porém há sempre tempo para o cão.

Apesar do slogan: 'Gente como a gente', utilizado inclusive pela ex-presidente Dilma Rousseff, com o peemedebista a ideia ainda não emplacou. O animal que vem sofrendo a seca da capital da República apresentou-se totalmente cansado e abatido. Nada muito diferente de seu dono, que não escondeu o desânimo.