Na tarde desta quarta-feira (25), uma notícia urgente acabou chamando a atenção de todo o país. De acordo com informações da Globo News, o presidente Michel Temer teria passado mal e acabou sendo encaminhado com urgência para uma unidade de saúde em Brasília.

O inusitado veio a acontecer nos momentos em que a Câmara dos Deputados estava se preparando para votar, na segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. A repórter Andreia Sadi, da Globo News, estava no local no exato momento em que tudo aconteceu e informou e passou todas as informações em primeira mão [VIDEO].

Ainda não é possível saber detalhes de como está o presidente, pois, sua assessoria de imprensa ainda não divulgou nada sobre o ocorrido, nem ao menos o que teria motivado o mal-estar.

Por volta das 13h30 de hoje, o presidente ainda estava no centro cirúrgico do Hospital das Forças Armadas.

Nas redes sociais, internautas de todo o país têm comentado o ocorrido de urgência. Para alguns, a notícia de Temer no hospital é favorável, pois acreditam que caso o presidente esteja com algum problema de saúde grave, ele poderá ficar impossibilitado e comandar o país, algo que é de desejo da grande maioria dos brasileiros, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha.

Em meio a tantos comentários negativos, algumas pessoas se manifestaram pedindo orações para o presidente, para que Deus pudesse o livrar de toda e qualquer enfermidade. A qualquer momento nós voltaremos com mais informações sobre o ocorrido.

Plenário da Câmara vota denúncia contra Temer e ministros

Foi marcado para hoje (25), na Câmara dos Deputados, a votação do pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o presidente da República, Michel Temer, que é acusado por crime comum.

Além do presidente, também serão processados os ministros da Secretaria-Geral, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha. Tanto o presidente como os ministros estão sendo acusados por terem formados uma criminosa organização, onde tinham como benefícios ocupar cargos públicos e arrecadar cerca de R$ 587 milhões em propinas.

O caso do presidente Michel Temer é ainda pior, pois ele também é acusado de obstrução de Justiça. Mesmo diante de todas as acusações apresentadas até o momento, o Planalto insiste em negar todas as afirmativas de acusação [VIDEO].

De acordo com informações do site da Agência Brasil, os ministros e o presidente só poderão passar pelas investigações do Superior Tribunal Federal (STF) se dos 513 deputados, 342 se mostrarem contrários ao relatório de Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que defende o arquivamento do pedido de investigação. Todo esse processo deve ser realizado de modo que cada um dos 342 deputados vote “não”.