O Governo do presidente Michel Temer pretende lançar nos próximos dias uma campanha mostrando os fracassos da ex-presidente Dilma Rousseff e a luta dele para retomar o crescimento do Brasil. Porém, nessa história toda, alguém está com os nervos à flor da pele. O treinador Felipe Scolari, o Felipão, já admitiu que se a campanha citar o nome dele ou o jogo em que o Brasil perdeu por 7 a 1 da Alemanha na última Copa do Mundo, vexame histórico, ele pretende acionar a Justiça e processar o governo Temer.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

A intenção da campanha publicitária é fazer uma comparação entre o governo Dilma e os poucos dias do governo Temer. Para isso, o vexame do Brasil serviria como exemplo.

Felipão, que na época, era treinador da Seleção Brasileira na derrota vexatória para a Alemanha, seria a presidente cassada petista e Temer seria comparado ao treinador Tite, que levou o Brasil ao patamar de um dos melhores futebol do mundo.

Essa campanha agressiva de Temer contra Dilma é uma forma de tentar melhorar a sua popularidade e mostrar que o Brasil está bem melhor hoje em todos os aspectos. O tema da campanha será a derrota histórica do Brasil e a reviravolta com a chegada de Tite.

Obras inacabadas e paradas serão mostradas para as pessoas entenderem a dificuldade que Temer teve em melhorar o Brasil. Tite, por enquanto, não respondeu sobre essa campanha. Já Felipão está preparado para processar a União, caso sua imagem seja usada.

Traição

O Planalto e os aliados de Temer [VIDEO] pretendem pressionar deputados federais do PMDB que tendem a votar pela abertura do processo contra o presidente peemedebista.

Na primeira denúncia contra ele, sete apoiaram as investigações contra Temer e outros três faltaram. Isso irritou o governo, que se sentiu traído por esses deputados.

Foi dado o recado que nessa segunda denúncia [VIDEO] isso não será mais perdoado e haverá punições contra quem se virar contra Temer. O deputado Carlos Marun (MS), um dos grandes aliados do presidente, já falou que quem não ajudar será expulso do partido.

Quem votar contra Temer será considerado inimigo e terá que arcar com os problemas que virão. Um dos deputados que já sentiu isso na pele foi Aluízio Mendes (Pode-MA). O seu partido acabou perdendo a administração da Funasa (Fundação Nacional da Saúde) após votar contra temer na primeira denúncia.

Coração do presidente

Nesta sexta-feira (20), o presidente voltou a falar sobre a obstrução parcial em artéria do coração. O político afirmou que está tranquilo e que aquilo era normal. O cateterismo só seria necessário caso a obstrução aumentasse.