Em meio ao completo caos que o PSDB [VIDEO] vive no momento, alguns tucanos apontam o governador Geraldo Alckmin como o Messias capaz de salvar a lavoura do partido nas eleições de 2018. Além de candidato à Presidência da República no próximo ano, nomes importantes do partido, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, querem que Alckmin também comande o Diretório Nacional do PSDB a partir da Convenção Nacional em 9 de dezembro.

Até o momento, dois nomes aparecem como pré-candidatos à disputa de dezembro: o senador Tasso Jereissati [VIDEO] (CE), que foi destituído do cargo na última semana por Aécio Neves (MG), e o governador de Goiás, Marconi Perillo.

O nome de Geraldo Alckmin já vinha ganhando força há alguns dias, mas o governador nunca se mostrou muito confortável com a indicação. Na Convenção do PSDB de São Paulo, no último domingo (12), ao comentar o assunto, Alckmin preferiu se manter em cima do muro e disse que era melhor esperar o encontro nacional.

João Doria, prefeito de São Paulo, parece não ser mais um apoiador tão ferrenho de Alckmin como se dizia em 2016. Durante a convenção de ontem, Doria afirmou que apoia Marconi Perillo para presidir o PSDB a partir do próximo ano. O governador de Goiás é uma escolha de Aécio Neves.