O deputado federal Jair Bolsonaro [VIDEO] é um dos parlamentares mais polêmicos do Congresso, atraindo milhares de seguidores, fãs e críticos. Ao que tudo indica, Bolsonaro irá se candidatar para a presidência da República nas Eleições de 2018. Em pesquisa de intenções de votos, o candidato da direita conservadora alavancou, ficando em segundo lugar, atrás apenas do réu em processos da Operação Lava Jato, Lula.

Para fazer um bom planejamento em um possível futuro como presidente, Bolsonaro conta com a experiência de economistas, um deles é Adolfo Sachsida, pesquisador da Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Sachsida está presente em encontros semanais com Jair Bolsonaro para tratar de economia mundial e brasileira.

Em entrevista para o portal Estadão, Sachsida contou que faz parte de um grupo de 11 intelectuais na área da economia que mantém frequente diálogo com Bolsonaro. O economista, que poderia ser chamado de "homem de confiança" do parlamentar, deixa claro que não está dando aula para o deputado, mas sim, trocando ideias referentes ao assunto que traz grande preocupação atualmente no Brasil.

Adolfo Sachsida é filiado do partido DEM (Democratas), mas deixa claro que seu apoio é totalmente para Jair Bolsonaro. O economista já foi professor da University of Texas - Pan American, e um dos consultores do Banco Mundial para a Angola.

Sachsida é um dos apoiadores de Bolsonaro antes mesmo deles se conhecerem. Sua compatibilidade com o parlamentar fez com que o economista fosse desvinculado do cargo de assessor especial do ministro da Educação Mendonça Filho, após ele utilizar suas redes sociais para dar apoio a proposta do "Escola Sem Partido".

Sachsida explica que não é preciso que Bolsonaro seja formado em economia para poder conduzir o Brasil, mas ter ao seu lado um "batalhão" com grandes nomes para auxiliá-lo. Na justificativa, Sachsida cita que Lula [VIDEO] e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, não eram. Aliás, o ex-presidente Lula não contou com nenhum tipo de formação de nível superior.

O "homem de confiança" de Bolsonaro conheceu o parlamentar em julho deste ano. A partir daí, reuniões no gabinete e caminhadas foram surgindo, trazendo maior aproximação entre ambos.

Adolfo Sachsida esclareceu que após o "mercado" conhecer melhor o deputado federal, vão perceber que Bolsonaro tem grande responsabilidade na condução da economia, sendo, em geral, um político responsável.