O ex-ministro e presidente Nacional [VIDEO] do PDT, Carlos Lupi, vê com otimismo as intenções de voto expressa na última pesquisa Datafolha para as eleições de 2018, pois o partido vai lançar o ex-governador do Ceará Ciro Gomes, mesmo que tenha que concorrer com seu antigo aliado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Carlos Lupi afirma que a candidatura de Ciro Gomes para a presidência da República é ‘’imutável e imexível, sendo, portanto, irreversível’’.

"Para quem não participa de uma campanha presidencial desde 2002, Ciro Gomes apresenta um ótimo respaldo, e imaginando o mais provável, que é ver Lula fora da disputa, o ex-governador do Ceará já desponta com 10%”, garante Carlos Lupi, que foi ministro do Trabalho e Emprego durante os governos Lula e Dilma Rousseff.

Ciro Gomes e Haddad em 2018

Ciro Gomes foi questionado se aceitaria uma parceria com Fernando Haddad em sua disputa para a presidência da república, e o ex-governador foi enfático ao afirmar que seria o “dream team”, já que Haddad representa o que de melhor há no PT, e está livre do em parte injusto estigma que infesta o partido. [VIDEO]

Fernando Haddad, porém, afirma em suas entrevistas que o projeto é unir forças progressistas em torno de Lula e que a hipótese Ciro Gomes ainda não foi considerada. Na interpretação do ex-governador do Ceará, a esquerda não tem mais hegemonia moral junto à sociedade e enquanto critica o ambientalismo difuso propagado por Marina, se apresenta como o “Macron” brasileiro, em uma referência ao presidente da França, Emmanuel Macron.

Ciro se considera o candidato com maior bagagem, o mais experiente entre os presidenciáveis.

Os melhores vídeos do dia

Já ocupou cargos no Executivo, no Legislativo e por duas vezes foi candidato à Presidência da República pelo PPS (1998 e 2002).

‘Essa eleição está para mim’

“Afirmo que essa eleição está para mim, porque na hora de votar os brasileiros vão se questionar e buscar uma resposta concreta para os problemas do Brasil, vão querer alguém que tenha experiência anterior. Alguma coisa que supere a tragédia causada pelo governo de Dilma Rousseff, e do atual governo, Michel Temer”, diz Ciro Gomes,

Ele afirma também: "Não que seja vantagem alguma, é apenas a minha obrigação como cidadão de bem, mas posso me vangloriar de nunca te respondido a um inquérito, nem sequer para ser absolvido.”

Sobre os demais candidatos, questiona: "Quem vai administrar o país, um cara que nunca administrou sequer uma bodega?" Ciro Gomes faz lembrar a "trágica experiência de Dilma Rousseff", que assumiu a presidência do país sem nunca antes ter assumido um cargo no Executivo, sendo essa também uma desvantagem para o Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que desde 1991 é deputado federal, mas nunca passou pela experiência de ser prefeito ou governador.

O pré-candidato se posiciona como o candidato ideal para a Presidência do Brasil pela experiência adquirida no exercício dos mandatos que exerceu nas esferas municipal, estadual e até federal, sendo um expert em política e que jamais pode ser taxado de corrupto ou de incompetente. Frase de Ciro: “Alguém precisa colocar o Brasil de volta aos trilhos.”