A deputada do PSDB, Mara Gabrilli, foi uma das entrevistadas pela revista "Veja" e trouxe informações chocantes e preciosas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela também fez críticas ao seu partido, o PSDB.

Mara, por mais que seja tucana, sempre se posicionou contra muitos feitos realizados pelo PSDB. Ela sempre demonstrou dignidade para não participar de esquemas que poderiam "sujar" a sua vida. Na entrevista concedida, ela falou sobre o senador Aécio Neves, Lula e a respeito de um dossiê que entregou ao juiz federal Sérgio Moro, que mostra detalhes do envolvimento de petistas na morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Sergio Moro

Primeiramente, a deputada federal se decepcionou com o senador Aécio Neves e revelou que ele fez ela sentir vergonha de ser do mesmo partido. Um dos pontos negativos e que fez ela se desiludir com o PSDB foi quando houve a divulgação dos áudios em que Aécio pedia dinheiro para o empresário da JBS, Joesley Batista.

No momento, ele se encontra preso pela Operação Lava Jato.

Lula na cadeia

Ao falar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Mara foi bem contundente e opinou sobre o futuro dele em uma frase: "Lula vai acabar preso no caso Celso Daniel".

Para explicar o motivo dessa certeza, ela disse que esteve com o publicitário Marcos Valério na prisão. Segundo ela, o publicitário estava muito nervoso e preocupado com medo de morrer. Em conversa com ela, Valério disse que tem provas suficientes para apontar Lula como o mentor do assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel. O prefeito sofreu uma emboscada em 2002 e levou oito tiros. Na época, o prefeito já estava descontente com supostas corrupções que tomavam conta de seu partido.

Nestes dias, foi preso o empresário Ronan Maria Pinto, que, segundo informações, teria pedido dinheiro para Lula em troca de não falar tudo que sabe sobre o caso do prefeito morto.

Há indícios que foram entregues para ele R$ 6 milhões para que se mantenha calado. O responsável em dar o dinheiro foi o pecuarista e amigo de Lula, José Carlos Bumlai.

De acordo com Mara, ela entregou ao juiz Sérgio Moro [VIDEO] um dossiê com todas as informações do caso.

STF

Marcos Valério chegou a fazer um acordo de colaboração com a Polícia Federal (PF) [VIDEO], mas o Ministério Público não aceitou argumentando que a PF não pode tomar à frente nas delações.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá nos próximos dias se a PF poderá ter esse tipo de função ou não. Mais um vez, esse caso emblemático depende de um aval da Corte.