A deputada do PSDB, Mara Gabrilli, foi uma das entrevistadas pela revista "Veja" e trouxe informações chocantes e preciosas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela também fez críticas ao seu partido, o PSDB.

Mara, por mais que seja tucana, sempre se posicionou contra muitos feitos realizados pelo PSDB. Ela sempre demonstrou dignidade para não participar de esquemas que poderiam "sujar" a sua vida.

Na entrevista concedida, ela falou sobre o senador Aécio Neves, Lula e a respeito de um dossiê que entregou ao juiz federal Sérgio Moro, que mostra detalhes do envolvimento de petistas na morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.

Primeiramente, a deputada federal se decepcionou com o senador Aécio Neves e revelou que ele fez ela sentir vergonha de ser do mesmo partido. Um dos pontos negativos e que fez ela se desiludir com o PSDB foi quando houve a divulgação dos áudios em que Aécio pedia dinheiro para o empresário da JBS, Joesley Batista. No momento, ele se encontra preso pela Operação Lava Jato.

Lula na cadeia

Ao falar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Mara foi bem contundente e opinou sobre o futuro dele em uma frase: "Lula vai acabar preso no caso Celso Daniel".

Para explicar o motivo dessa certeza, ela disse que esteve com o publicitário Marcos Valério na prisão. Segundo ela, o publicitário estava muito nervoso e preocupado com medo de morrer. Em conversa com ela, Valério disse que tem provas suficientes para apontar Lula como o mentor do assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro Lula

O prefeito sofreu uma emboscada em 2002 e levou oito tiros. Na época, o prefeito já estava descontente com supostas corrupções que tomavam conta de seu partido.

Nestes dias, foi preso o empresário Ronan Maria Pinto, que, segundo informações, teria pedido dinheiro para Lula em troca de não falar tudo que sabe sobre o caso do prefeito morto. Há indícios que foram entregues para ele R$ 6 milhões para que se mantenha calado.

O responsável em dar o dinheiro foi o pecuarista e amigo de Lula, José Carlos Bumlai.

De acordo com Mara, ela entregou ao juiz Sérgio Moro um dossiê com todas as informações do caso.

STF

Marcos Valério chegou a fazer um acordo de colaboração com a Polícia Federal (PF), mas o Ministério Público não aceitou argumentando que a PF não pode tomar à frente nas delações.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá nos próximos dias se a PF poderá ter esse tipo de função ou não.

Mais um vez, esse caso emblemático depende de um aval da Corte.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo