Em uma ação que envolveu a deflagração de mais uma das operações de combate à Corrupção por parte da Polícia Federal [VIDEO], a apuração de crimes atingiu em cheio a uma das instituições mais tradicionais do estado de Pernambuco. Trata-se de investigação da Polícia Federal cujos desdobramentos apontam para a Casa Militar do Estado de Pernambuco.

A força-tarefa de investigação [VIDEO] se concretizou por meio da implementação da denominada "Operação Torrentes".

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Corrupção

Vale ressaltar que, para a realização dessa operação, a Polícia Federal contou com o apoio e suporte de outras instituições, como a Controladoria-Geral da União e a Procuradoria da República do estado de Pernambuco.

A ação foi deflagrada nesta quinta-feira pela manhã (9).

Desdobramentos das investigações da Polícia Federal

Os desdobramentos das investigações da Polícia Federal relacionadas à suposta corrupção na Casa Militar do estado de Pernambuco dão conta de que exista um suposto esquema de desvios de recursos provenientes dos cofres públicos, além da ocorrência de fraudes relacionadas à licitações e corrupção de servidores públicos. Esses funcionários estão inteiramente vinculados à Secretaria da Casa Militar de Pernambuco.

As investigações tiveram início no ano passado, a partir da apresentação da elaboração de um relatório fornecido pela Controladoria-Geral da União sobre gastos feitos pela Casa Militar, cujas cifras remontam a mais de R$ 450 milhões que haviam lhe sido repassados, através da União, através da "Operação Reconstrução", com o intuito de que se promovesse assistência às vítimas de enchentes que assolaram diversos municípios da região da Mata-Sul pernambucana durante o período de junho de 2010.

As apurações demonstraram que funcionários da Secretaria da Casa Militar faziam o direcionamento de contratos a vários grupos empresariais em troca de contrapartidas de caráter financeiro. A Polícia Federal descobriu ainda a ocorrência de indícios relacionados a superfaturamento e falta de cumprimento de contratos.

Entretanto, vale lembrar que a Casa Militar é considerada uma das instituições mais tradicionais do estado pernambucano, sendo um órgão de administração direta subordinado ao governador do estado. Um dos principais objetivos dessa instituição é zelar pela proteção dos altos interesses do estado, do governo e também do próprio povo. A Casa Militar possui ainda o status de secretaria integrada ao Palácio do Campo das Princesas, que é a sede do governo do estado de Pernambuco.