O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] afirmou, neste domingo (19), que não será difícil ganhar as Eleições presidenciais de 2018. Entretanto, será preciso montar estratégias para barrar o governo atual de Michel Temer [VIDEO], devido as suas propostas. Ele ainda afirmou seu descontentamento em não conseguir barrar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e lamenta que as propostas do governo atual, que, em sua opinião, são um retrocesso às leis trabalhistas criadas em suas gestões.

Lula [VIDEO] disse ainda ao discursar durante o congresso do PCdoB que era fortemente contra a reforma trabalhista, mas não deixou de acontecer, e se posiciona contra a reforma da Previdência, que, se não tomar cuidado, também irá ser realizada.

O ex-presidente ainda mostra sua indignação contra o governo atual, chamando o presidente Michel Temer de fraco, por se submeter aos interesses do mercado.

''Nenhum presidente fraco é respeitado'', ressalta Lula. Ele ainda discursou que quem está votando pelo desmonte dos direitos dos cidadãos não têm interesse no povo e que nunca tinha visto tantos deputados reacionários, argumentando que poderá piorar na próxima eleição, se o eleitor não tomar o devido cuidado.

Lula declarou que a reforma da Previdência não é algo que poderá ser aprovado, e ela está ocorrendo simultaneamente com o desmonte da Petrobras. O ex-presidente ainda mostra sua frustração pelos protestos que não têm respostas, como o movimento ''fora Temer'', e ''não vai ter golpe''.

Ele ainda diz que é preciso parar de gritar e fazer que tais coisas não aconteçam, de alguma forma.

Segunda ele, os políticos que estão no poder querem o desmonte da Petrobras, BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Eletrobras e Caixa Econômica Federal por serem bandidos e não terem interesse no povo. ''Esta é uma forma de acabar com a cidadania'', ressaltou.

Lula mostrou seu contentamento ao falar de seus governos, dizendo que se não fosse por sua teimosia e a do PT, não teria conseguido chegar á Presidência da República, provando ser possível um governo de esquerda mudar o país, focando na melhoria da educação, salário e até mesmo na introdução da imagem do Brasil para o exterior.

Ainda disse que o país deixou de ajoelhar para os Estados Unidos e que conseguiu sair do mapa da fome. Lula lamentou que o sonho de seu governo esteja sendo aos poucos massacrado, deixando claro que, em sua gestão, o Brasil estaria preparado para se tornar a 5º maior economia do mundo.

Esquerda unida

O ex-presidente ainda fez um discurso incentivando á candidatura de Manuela D'Ávila para a Presidência da República, deixando bem claro que sua candidatura não afetará a relação do PCdoB com o PT. Ele ainda diz que uma campanha ideologicamente bem feita e organizada, com a militância se manifestando nas ruas, já vale a pena ser candidato.

O ex-presidente surpreendeu a todos dizendo em seu discurso que poderá parecer em alguns dos comícios de Manuela.