Nem João Doria (PSDB), prefeito de São Paulo, nem Luciano Huck, apresentador da Rede Globo. A expectativa do Novo, partido criado pelo ex-banqueiro João Dionísio Amoêdo, de 55 anos, é que ele mesmo seja confirmado como candidato, do partido estreante, à Presidência da República em 2018.

João Amoêdo é formado em Engenharia Civil pela UFRJ, e, em Administração de Empresas pela PUC-RJ, tendo sido estagiário no Citibank. Foi também conselheiro e vice-presidente do Unibanco e hoje é sócio da Casa das Garças, centro de estudos de tendência liberal, no Rio de Janeiro.

Em termos gerais, o Novo e Amoêdo sinalizam que o Estado seja reduzido à educação básica, saúde e segurança pública, eliminando a burocracia e facilitando o empreendedorismo. Ambos, pré-candidato e partido, são defensores da privatização de todas as empresas públicas, pois concordam que a gestão pública é deveras deficiente, se comparada à gestão privada.

No âmbito de políticas sociais, porém, ao contrário do que muitos possam imaginar, ele é favorável ao Bolsa Família - uma das bandeiras do ex-presidente Lula - desde que exista uma saída para as pessoas que dependem da assistência.

Para viabilizar sua candidatura e se fazer conhecer pelo eleitorado, João tem viajado por todos os estados, apresentando as ideias do partido. No mês passado, deu palestra em Salvador (BA), e no próximo dia 18, vai estar em São Paulo, no 3º Encontro Nacional do Novo.

Novo

A ideia de criar o partido surgiu em 2011, mas até que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedesse o registro da sigla, em fevereiro de 2015, foram muitas idas e vindas à Capital Federal, além da coleta de assinaturas.

O partido, em suas premissas, defende e cobra do governo uma autonomia e liberdades maior do cidadão, consequentemente, uma redução das áreas de atuação do Estado, para que o mesmo possa prover a necessidade nas áreas onde, realmente, ele tem de organizar que é a saúde, segurança e educação.

João compartilha da amizade do ex-ministro da Fazenda Edmar Bacha e do ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga. Ambos estiveram presentes nos anos em que o PSDB governou o Brasil, sob o comando de Fernando Henrique Cardoso. Outros nomes de peso que compõem a legenda são Marcelo Lessa Brandão, executivo que controla as redes de fast food Bob's, Pizza Hut, McDonald's e KFC, e João Antonio Lian, presidente do Conselho de Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo