O clima de incerteza que toma conta do cenário político-brasileiro fez o general da reserva, Luiz Eduardo Rocha Paiva, desabafar e acusar negligência dos três Poderes da União [VIDEO].

De acordo com Rocha Paiva, o Brasil tem sido vítima de uma esquerda radical que aumentou muito a Corrupção no país. Desde 2003, até o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o Brasil foi devastado por governos que nunca se preocuparam em cuidar dos cofres públicos, mas sim, enaltecer um tipo de populismo ideológico que foi abalado pela maior operação de combate à corrupção que já existiu no Brasil.

Esse tipo de "aliança do mal" realizada pelo Partido dos Trabalhadores foi interrompida com as investigações da Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro.

Para o general, a Lava Jato seria o começo de uma "Revolução Brasileira", mas para isso, é necessário que a sociedade continue pressionando os políticos e apoiando a Lava Jato.

Os trabalho do juiz Sérgio Moro já mostraram a "sujeira" que existe e existiu dentro desses governos e o Brasil não pode se calar diante disso.

Os Poderes que deveriam estar ao lado do povo, parece que só pensam nos próprios interesses e isso se torna uma grande calamidade. Rocha Paiva fala em uma grande proteção contra os poderosos que já foram denunciados com provas robustas de seus crimes.

Previsão

O general [VIDEO]está prevendo um grande abismo para o Brasil nos próximos meses, se tudo continuar dessa forma. As eleições de 2018 vão ser de suma importância para o Brasil começar a sair desse martírio corrupto que envolve os parlamentares.

Ele cita quatro hipóteses de futuro relacionados às lideranças politicas.

Liderança patrimonialista fisiológica - Caos total no governo. Continuação da máfia dirigente. Povo descrente de um futuro melhor, desprezo moral e retorno de lideranças socialistas.

Liderança socialista radical - Destruição de valores e da família tradicional. Socialismo liberticida implantado no país. Povo reprimido e continuação da corrupção. A busca da ideologia será apenas de dinheiro e poder.

Liderança socialista fabianista - Recuperação da estabilidade política, econômica e social, mas com rumo ao socialismo. Enfraquecimento da família e do patriotismo. Brasil dependente de empresas estrangeiras e perda de soberania.

Liderança centrista - Paz social e volta dos valores éticos. O progresso econômico retomará com todas as forças e haverá incentivo e priorização da iniciativa privada, com o Estado participando de tudo. A sociedade estará junto participando com seus representantes.

Conclusões do general

As duas primeiras previsões levarão ao desastre. A terceira é uma incógnita, onde o Brasil poderá ser alvo de grande violência entre governantes e militares. A quarta hipótese será a redenção do país, mas ,para isso, o povo precisa se unir e mostrar forças, pois nesse momento, não existe milagres e sim ações.