O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que encontra-se preso nas dependências da Polícia Federal, em Curitiba, no âmbito das investigações da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, se manifestou de modo incisivo a respeito do conteúdo já divulgado do acordo de colaboração premiada selado entre o ex-doleiro Lúcio Funaro e a Procuradoria-Geral da República e Ministério Público Federal. De acordo com o ex-deputado federal, o conteúdo da delação premiada de Funaro seria inconsistente, com informações que não devem ser consideradas como verdadeiras.

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) prestou depoimento nesta segunda-feira (06), e afirmou contundentemente que irá rebater ponto a ponto todas as afirmações prestadas em depoimentos divulgados do ex-doleiro Lúcio Funaro.

Vale ressaltar que Eduardo Cunha cumpre prisão em Curitiba, no âmbito das investigações das maior operação de combate à Corrupção na história contemporânea do país a Lava Jato, que é também considerada, uma das maiores em todo o mundo. A Operação Lava Jato é conduzida em primeira instância, pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Participação em suposto esquema de corrupção em banco público

Um dos principais fatores que levaram o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, a se manifestar com grande insatisfação, de acordo com o conteúdo de seu depoimento perante à Justiça, nesta segunda-feira, trata-se de denúncia apresentada contra ele, por parte do ex-doleiro Lúcio Funaro, ao atribuir-lhe uma suposta participação em uma mega esquema de corrupção envolvendo a Caixa Econômica Federal.

Cunha afirmou enfaticamente que irá rebater todos os pontos apresentados por Funaro em seu acordo de colaboração e que todas as acusações seriam provadas como sendo inverdades.

O ex-deputado federal fluminense foi categórico, ao afirmar que nenhuma das acusações seria verdadeira e que quer rebater cada ponto dela. As informações dadas por Cunha se caracterizaram como resposta ao juiz federal Valliney de Oliveira,magistrado titular da décima Vara Federal de Brasília, no Distrito Federal. Eduardo Cunha foi ainda mais longe ao afirmar que irá responder a todas as perguntas do juiz e do Ministério Público Federal, além de perguntas a serem apresentadas por advogados de réus que não sejam delatores.

Entretanto, Cunha demonstrou irritação, ao comentar, durante grande parte de seu depoimento, sobre as acusações lançadas pelo delator Lúcio Funaro. O ex-deputado federal as classificou como "mentiras" e foi incisivo ao dizer que Funaro estaria transformando-o num posto Ipiranga, pois, tudo é Eduardo Cunha.