A jurista Janaína Paschoal, que também foi autora do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016, demonstrou que não está muito satisfeita com os acontecimentos em Brasília.

Segundo Janaína, existe um grupo de pessoas que está criando um movimento com o intuito de estancar as investigações da Operação Lava Jato [VIDEO]. A jurista também disse que o Presidente da República Michel Temer (PSDB) tem que ser afastado do cargo e afirmou que o julgamento do processo de impeachment da chapa Dilma-Temer foi considerado uma das maiores vergonhas da Justiça brasileira.

Este processo que aconteceu no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) restringia também o vice-presidente ao cargo de presidente.

Janaína afirmou também que não quis se envolver em um processo de impeachment contra Temer, porque a OAB já entrou com o mesmo pedido que seria feito por ela contra o presidente. Para a jurista, Temer não demonstra ser uma pessoa anti-Lula [VIDEO] ainda mais com tudo isso que está vindo á tona.

Janaína acredita que o povo deve iniciar um processo de impeachment contra Temer. Ela também falou um pouco sobre suas novas metas e qual é sua nova ferramenta para alertar e receber o apoio da sociedade sobre os problemas que precisam ser resolvidos como, por exemplo, as postagens que ela faz nas redes sociais sobre diversos assuntos, com o intuito de as pessoas ficarem informadas do que vem acontecendo em nosso país.

Janaína diz que o povo não pode ter medo de atacar Temer Segundo Janaína, o nosso país é polarizado e ao mesmo tempo divido entre “eles” e “nós”.

Segundo ela, “eles”, são os políticos poderosos, e “nós”, o povo que vem sofrendo com os atos dos poderosos.

Janaína denuncia políticos e membros do STF

Para Janaína, o povo tem medo de atacar Michel Temer e fortalecer ainda mais o ex-presidente Lula. Ela disse também que os políticos não formam seu grupo com apenas pessoas dos grandes partidos políticos como, por exemplo, membros do PT, PMDB e PSDB, eles têm também como aliados membros do Supremo Tribunal Federal (STF), que tem a intenção de acabarem com as investigações da Lava Jato.

Segundo Janaína, o ministro Gilmar Mendes é o líder desse grupo. Segundo a jurista Gilmar Mendes fala muito bem em público, característica de um líder. Janaína também comentou sobre o voto da ministra Carmén Lucia, que decidiu que a última palavra sobre o afastamento de um parlamentar deve ser do mesmo parlamento. Para a jurista Carmén Lúcia deveria demonstrar mais força e comprometimento contra os políticos corruptos deste país.

Segundo Janaína, mexer no sistema político não é uma prioridade, pois, segundo ela, é necessário que ocorram as devidas prisões, pois quem cometeu atos ilícitos tem que ter consciência de que, se errou, deve ser preso e pagar pelos seus atos.