Miguel Reale Júnior, jurista e ex-ministro da Justiça no Governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, é um renomado intelectual no meio jurídico. Ele foi um dos autores do impeachment que cassou a ex-presidente Dilma Rousseff.

Miguel Reale está muito preocupado com que tem visto acontecer no Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO]. De acordo com ele, os ministros estão se expondo demais, principalmente Gilmar Mendes.

Há ministros que fazem de tudo para jogar na imprensa detalhes importantes que só devem ser discutidos nos autos. “É ruim quando um jornalista quer ser juiz e ruim quando o juiz quer ser jornalista," ressalta.

"É muito negativo para a Justiça", emenda.

O jurista relembrou quando Mendes foi à imprensa criticar o ministro Luís Roberto Barroso por proibir a vaquejada e ser conivente com o aborto. Reale Júnior ressaltou que o juiz é livre para votar conforme a sua consciência e não é correto jogar a imprensa contra as decisões tomadas na Corte.

Discussão

A discussão entre Barroso e Mendes mostram bem um STF desestruturado e sem um líder para exigir organização e respeito. As posições que Gilmar Mendes tem adotado estão gerando uma grande desconfiança sobre a Justiça e isso só tende a repercutir negativamente, afirma o jurista.

Reale comentou que Mendes possui grande sabedoria e já foi protagonista de votos importantes para o Brasil, mas, ultimamente, ele está de um lado e depois muda para outro, ou seja, está sem convicção do que é melhor para o povo.

Segundo o ex-ministro da Justiça, essa postura de Mendes abala todo o Judiciário. A população começa a se revoltar e ficar indignada com certas atitudes. Para o povo, o que fica é que a Justiça Penal só acontece para o pobre.

Deltan Dallagnol

O procurador da República e coordenador da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol [VIDEO], também criticou duramente Gilmar Mendes, após ele ir contra decisão do juiz Marcelo Bretas.

O magistrado havia solicitado a transferência do ex-governador Sérgio Cabral para um presídio federal, após ele citar sua família durante depoimento, o que seria uma grave ameaça, na visão do juiz. O ministro da Corte suspendeu a transferência atendendo aos advogados de Cabral.

Deltan se irritou e afirmou: "Quando a Justiça desmoraliza a Justiça". O procurador prestou solidariedades a Bretas, que tem enfrentando com muita rigidez os corruptos poderosos. A assessoria do ministro falou que ele não irá comentar as críticas.