O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso [VIDEO] afirmou, em um encontro nos Estados Unidos, que os partidos políticos brasileiros não possuem mais credibilidade. Ele disse que faz parte de um partido luta para avançar, mas reconhece as dificuldades atuais.

FHC não fez menção de nomes de pré-candidato, mas abordou sobre o atual cenário político do Brasil, acreditando que a corrida presidencial para o próximo ano terá como pauta a discussão sobre violência. Segundo o ex-presidente, o crime está gerando estragos no Brasil. Para ele, qualquer candidato que abordar o assunto com clareza acabará abrindo um espaço enorme em vantagem nas Eleições.

Fernando Henrique falou da necessidade que o pais tem de ter um líder capaz de organizar a situação e oferecer a sensação de unidade, alguém que emocione. Para ele, o Brasil precisa de um líder que tire o país da estagnação, movendo em direção ao crescimento.

FHC disse que existem muitos prefeitos com competência para disputar as eleições, e que seriam bons nomes para a corrida presidencial. Falou sobre o crescimento da bancada evangélica ao afirmar que suas instituições se organizaram, conseguiram eleger muitos candidatos e terão que ser ouvidas na eleição.

Quando questionado sobre o pré-candidato à presidência deputado federal Jair Bolsonaro [VIDEO] (PSC-RJ), FHC afirmou que a mídia enaltece figuras inusitadas. Disse que o país não precisa de sensacionalista, mas de alguém que seja capaz de sentar e ouvir as pessoas.

Ele fez um paradoxo entre o populismo atual e o que ele experimentou. "O nosso vislumbrava o futuro, o atual vislumbra o passado", afirmou. Ele acredita que nas próximas eleições no Brasil surja um líder populista. Mas ressaltou que o maior líder populista do país não tem mais a credibilidade de outrora.

Quando Fernando Henrique Cardoso saiu do encontro em Nova York, falou sobre como o PSDB poderia lidar com a crise ética no país. "Há uns partidos inferiores em relação aos outros, mas o PSDB está em outro patamar", disse.

Fez menção também da demissão do tucano Bruno Araújo do Ministério das Cidades [VIDEO]. O ex-presidente criticou indiretamente a reforma ministerial do governo Temer. Para ele, a demissão de Bruno Araújo consolida de vez a saída do PSDB do governo, O que já vinha sendo ventilado na semana passada.

Fernando Henrique foi homenageado pelo Inter-American Dialogue. Após o encontro na Universidade de Columbia, participou de outro debate na Universidade Brown.