O Senado da República [VIDEO] se tornou palco para uma áspera discussão entre parlamentares no final da tarde dess quarta-feira (8), protagonizada pelo senador petista Lindbergh Farias (PT-RJ), durante votação de uma medida provisória que estabelece alterações relacionadas ao pagamento e financiamento do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Trata-se da MP 785/2017. A situação ficou literalmente tensa a partir do momento em que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), deu início a ordem do dia, ao colocar para ser pautada a medida provisória.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Entretanto, após os trâmites normais de discussão, inclusive, com a leitura do resumo da matéria, o presidente da Casa deu por encerrados os argumentos inerentes à votação, com base na falta de inscritos, antes mesmo que os senadores se expressassem a respeito do tema.

Manifestação de Lindbergh Farias

O senador Lindbergh Farias reclamou de seu colega parlamentar Eunício Oliveira, presidente do Senado. De acordo com o petista, Eunício estaria atuando de modo "muito autoritário". Entretanto, o presidente da Casa deixou claro que nenhum parlamentar havia feito inscrição e nem mesmo encaminhado voto.

Lindbergh se manifestou contrário à condução da Casa por Eunício, a quem o considerou ter tido uma postura ambígua em votações anteriores. Assim que as falas dos senadores começaram a se sobrepor, Eunício Oliveira cortou o áudio do microfone de Lindbergh. O senador José Medeiros (Pode-MT) também se envolveu na discussão tomando partido favorável ao presidente do Senado Federal, ao se expressar: "Respeite o presidente, rapaz".

Ao demonstrar descontentamento com a situação, Lindbergh retrucou prontamente, ao afirmar que o Senado não seria uma "empresa" de Eunício.

Em seguida, o presidente do Senado desligou o microfone do petista e rebateu, ao responder que o Senado também não seria a "casa" do senador e que pedia respeito.

Ao tentar colocar novamente a pauta de votação, uma nova interrupção por parte de Lindbergh Farias, que afirmara que já estaria inscrito para falar. Porém, Eunício foi contundente e respondeu que Lindbergh não estaria inscrito e que somente teria pedido a palavra naquele momento.

O bate-boca entre ambos acabou se estendendo ainda por aproximadamente 4 minutos e culminou num desabafo do senador petista, que afirmou que Eunício estaria sendo "muito truculento". Ao final, o presidente do Senado disse, de modo irônico, para que Lindbergh se "elegesse presidente do Senado". A pauta em discussão foi, então, aprovada no início da noite, em se tratando do texto da medida provisória do Fies.