A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, está na contramão do Brasil

Em tempos de crise e recessão, o que mais se fala nos jornais e televisão e o maior objetivo do Presidente Michel Temer PMDB) é aprovar a reforma previdenciária, a Ministra Luislinda Valois apresentou um requerimento solicitando ao governo um pedido no qual ela requer que a sua atual aposentadoria, que é R$ 30.400,00 acumule com o salário da atual função que exerce.

Luislinda Valois foi desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, onde se aposentou, portanto faz jus ao valor recebido conforme a lei, porém ela só pode incorporar à sua aposentadoria o valor de R$ 3.300,00 (valor parcial do salário como ministra) por conta do teto salarial estabelecido para o funcionalismo público.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Vagas

A intenção da Ministra Valois com o seu requerimento, é conseguir a aposentadoria integral [VIDEO] das duas funções, que somadas atingem o valor de R$ 61.000,00.

Dentre as justificativas da ex-desembargadora e agora ministra dos Direitos Humanos, é que caso não fosse contemplada com o seu pedido estaria em condição semelhante ao Trabalho escravo, já que está a trabalhar sem receber a respectiva contrapartida.

Luislinda Valois, por telefone, justificou a um veículo de comunicação que presta serviços [VIDEO] ao Estado brasileiro e por conta disso, acha que é justo o seu pleito.

Ao citar o trabalho escravo em seu requerimento, a Ministra disse que estava somente fazendo uma analogia.

Veja a reportagem feita pela GloboNews a respeito do caso:

Vejamos o conceito de trabalho escravo

Segundo o código Penal Brasileiro, trabalho escravo é todo aquele que possui jornada exaustiva, é forçado e é degradante ao cidadão.

As condições de trabalho da ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois atualmente

A ministra Valois tem à sua disposição motorista, carro oficial, viagens de avião fretadas pela Força Aérea Nacional com a finalidade de agenda profissional em representação ao Estado Brasileiro e a remuneração legal de R$ 30.000,00.

Veja o contracheque da Ministra Luislinda Valois adquirido no portal de transparência do Governo:

A Ministra Luislinda Valois editou e enviou à Casa Civil um documento contendo 207 páginas no qual justifica seu pedido. Trechos do documento foram publicados dia 02 de novembro pelo jornal de grande circulação nacional, “O Estado de S.Paulo”.

Recentemente o pedido foi indeferido pela Casa Civil e posteriormente foi enviado ao Ministério do Planejamento para que o mesmo dê um parecer final ao pleito.