O Supremo Tribunal Federal (STF) terá decisões de grande importância e uma delas é sobre o fim do foro privilegiado. O julgamento terá como relator o ministro Luís Roberto Barroso, porém, um pedido de vista pode retardar a decisão da Corte. Quatro ministros já afirmaram que são a favor que o foro só seja aplicado nos casos em que se cometa crimes relacionados ao exercício do mandato dos políticos.

O Supremo terá a chance de dar um novo recado ao povo brasileiro, com uma nova decisão sobre o fim do foro especial. Seria uma forma de tentar amenizar a turbulência que causou ao dar autorização para o Senado suspender medidas cautelares contra o tucano Aécio Neves.

Mas, por trás dos bastidores, existem detalhes que podem estar distantes do conhecimento do povo. Um dos exemplos é que o julgamento da corte sobre a prerrogativa de foro, não vai valer tão cedo. Isso pode levar meses e até anos. Há tempo suficiente para que políticos futuros sem-foro consigam arrumar as suas vidas e acabarem livres em definitivo.

Pedido de vista

Outro fator que pode acontecer, é um dos ministros pedir vista durante o julgamento. Isso pode vir de Dias Toffoli, pois ele esteve reunido com o presidente Michel Temer, na última semana. O responsável em armar esse encontro foi Gilmar Mendes.

Conforme informações do site "Os Divergentes", a conversa de Temer e Toffoli está deixando muita gente com curiosidade em Brasília. O conteúdo da conversa pouco vazou e se sabe que existem muitos assuntos polêmicos envolvendo o Planalto e o STF [VIDEO].

Pessoas próximas dos dois acreditam que o julgamento do foro privilegiado esteve como um dos principais assuntos na "reunião estranha" dos interlocutores. Temer teria sugerido a Toffoli que pedisse vista no julgamento? Ninguém por enquanto sabe responder, mas a desconfiança está nos ares de Brasília.

Articulação nos bastidores

Por baixo dos panos, pode estar se criando uma estratégia para que o presidente da República, o vice e outros chefes dos Poderes, como ex-presidentes, por exemplo, fiquem com um foro especial eterno. Resumindo, poderíamos dizer que Temer escaparia de todas as denúncias já feitas contra ele e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva escaparia para sempre das mãos do juiz federal Sérgio Moro [VIDEO], o grande responsável pela Operação Lava Jato.

Apenas para ressaltar, o ministro Toffoli já foi um auxiliar próximo de Lula e ele pode querer devolver esse carinho que sempre teve com o petista.