O senador Aécio Neves (PSDB [VIDEO]-MG) tomou uma decisão que surpreendeu muita gente na última semana quando resolveu destituir do cargo de presidente interino do PSDB o senador Tasso Jereissati (CE). A atitude de Aécio teve a bênção do Planalto, que via cada vez mais Jereissati como uma ameaça ao desembarque do PSDB do governo. Tasso se alinhou a um grupo de deputados tucanos de uma geração mais nova que apoia a saída do PSDB do governo. Já Aécio e seu grupo são a parcela tucana que dá sustentação ao governo de Michel Temer. [VIDEO]

O PSDB é dono de quatro ministérios: Relações Exteriores, que é chefiado por Aloysio Nunes, Secretaria de Governo, com Antonio Imbassahy, Ministério das Cidades, comandado por Bruno Araújo, e Direitos Humanos, que tem como ministra Luislinda Valois - a senhora que queria um salário de mais de R$ 60 mil e comparou seu trabalho a escravidão.

O espaço dado ao PSDB é muito questionado pela base aliada. Deputados do Centrão já pressionaram Temer a realizar uma reforma ministerial e rever o tamanho dos tucanos nas pastas.

O governo até considera que o PSDB decida desembarcar após a convenção nacional do próximo dia 9, mas o que tentava evitar é que fosse um "divórcio litigioso", como afirmou uma fonte ao UOL.