Está prevista para essa quarta-feira (22) a cerimônia de posse, no Palácio do Planalto, em Brasília, do deputado federal Alexandre Baldy (GO) como novo Ministro das Cidades. O deputado, até então pertencente ao Podemos, para assumiu a pasta já tendo se desligado do partido, neste dia 20, em substituição [VIDEO], ao também deputado Bruno Araújo (PSDB). O novo ministro [VIDEO]das Cidades deverá se filiar ao Partido Progressista (PP).

Ministro, indicado por Rodrigo Maia, diz que falta de apoio da legenda é o motivo de sua saída

Araújo, que pediu demissão [VIDEO] do cargo no último dia 13, explicou na carta entregue ao presidente Michel Temer que o impeditivo de continuar na pasta e, consequentemente, no governo peemedebista seria a falta de apoio da sua legenda para dar seguimento à caminhada.

Já a nomeação de Alexandre Baldy para este Ministério é tida como uma indicação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e de integrantes dos partidos políticos denominados “Centrão”, que deram sustentação ao PMDB para o presidente Michel Temer continuar a governar o País.

Essa troca de apoio ocorreu nos episódios das votações na Câmara Federal das duas denúncias dos proprietários da JBS envolvendo o presidente Michel Temer. Por esse motivo, agora os deputados estão cobrando maior campo de atuação e participação no governo federal. Especialistas políticos acreditam que a saída de Bruno Araújo marca a reforma ministerial desejada pelos aliados de Temer.

Três pessoas são contempladas com o Cartão Reforma dia 13 no Planalto

Em cerimônia dia 13 no Palácio do Planalto, o presidente Temer, juntamente com Bruno Araújo, entregou o Cartão Reforma para três pessoas.

As famílias privilegiadas com este crédito, que dará prioridade aos atingidos por enchentes e outros desastres naturais, poderá obter um valor de até R$ 9.646, 07. Esta cerimônia marcou também um dos últimos atos governamentais do ex-ministro das Cidades Bruno Araújo (PSDB).

O Cartão Reforma é um benefício que o governo Temer pagará às pessoas com baixa renda que quiserem comprar material para aumentar, acabar a construção ou reformar sua casa. Ele é dirigido às famílias com renda bruta de no máximo R$ 2.811,00.

Entre outras exigências, o programa pede que o requerente dessa benesse tenha 18 anos de idade e que a família resida no imóvel. A moradia também precisa ser localizada em um dos municípios contemplados pelo governo e num bairro indicado pela prefeitura dessa cidade.