Uma das mais destacadas professoras e historiadoras de uma das universidades mais importantes do país, Heloísa Starling, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), se manifestou a respeito de um discurso proferido pelo presidente da República, Michel Temer. Vale ressaltar que, na quarta-feira (15), o mandatário do país proferiu um discurso com base no feriado que se comemora a Proclamação da República no Brasil, cujo período pode ser considerado extremamente conturbado na história do país.

Entretanto, as palavras ditas pelo homem que ocupa o cargo mais alto do Brasil não foram bem recebidas pela professora e historiadora da instituição de ensino de Minas Gerais.

Na ocasião, o presidente da República se referiu à sociedade brasileira de modo que acabou acarretando uma enorme repercussão, principalmente, nas redes sociais.

Temer disse que a tendência da sociedade brasileira, ou seja, o povo, seria sempre caminhar em direção a governos que fossem autoritários. Ele foi ainda mais longe ao afirmar que se o povo não prestigiar alguns princípios que sejam considerados constitucionais, a tendência, ao caminhar para a ocorrência de autoritarismos, seria rumar em direção à existência de centralização no país.

Em uma espécie de puxada na orelha da população, o presidente afirmou que só teriam havido períodos considerados autoritários porque a população assim o quis, em uma clara referência ao período em que se compreendia o Governo do ex-presidente Getúlio Vargas (1930-1945), denominado como Era Vargas, além de períodos em que eram incluídas a ditadura do Estado Novo (1937-1945) e a ditadura militar [VIDEO] (1964-1985).

As declarações do presidente Michel Temer foram dadas durante a realização de um evento na cidade de Itu, no interior do estado de São Paulo, ao participar de uma homenagem a José Eduardo Bandeira de Melo, que é um amigo advogado.

Historiadora rebate discurso do presidente

A historiadora Heloísa Starling não gostou nada do discurso com citações históricas do presidente e afirmou que, se o evento de Temer fosse somente para enaltecer feitos e realizações de seu governo, tudo isso passaria batido. Porém, a tese apresentada pelo mandatário de que somente ocorreram períodos autoritários no país devido ao apoio popular é algo altamente controverso, mesmo que existissem setores da sociedade brasileira que tivessem se manifestado em apoio às ditaduras em determinados momentos da história do Brasil, de acordo com a historiadora.

A professora titular da Universidade Federal de Minas Gerais lamentou muito as palavras de Temer. Ela acredita, no entanto, que haja um grande desconhecimento por parte de Michel Temer em relação ao significado da República e também à história do povo brasileiro.

Heloísa Starling acrescenta ainda que é muito triste, em se tratando de uma pessoa que ocupa o cargo de presidente do país, considerar essa espécie de caricatura do povo do Brasil, como se o povo fosse, na verdade, vocacionado para a submissão.