Nesta segunda-feira (20), o Brasil comemorou o Dia da Consciência Negra. [VIDEO] O dia dedicado a memória de Zumbi dos Palmares foi feriado no Rio de Janeiro, e de lá uma polêmica acabou atingindo a internet. O Secretário Municipal de Educação da cidade maravilhosa, César Benjamin, decidiu entrar em uma polêmica com a atriz da TV Globo, Taís Araújo, que nos últimos dias fez muitos comentários contra o preconceito no território nacional, que, de acordo com a famosa, continua bastante forte.

Taís Araújo é atacada por secretário de Educação do Rio de Janeiro, que ironiza: 'Cheirosa'

César Benjamin foi chamado para assumir o cargo na Secretaria de Educação do Rio de Janeiro pelo prefeito Marcelo Crivella, do PP, sobrinho do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo.

Mesmo a data da 'Consciência Negra' sendo um calendário importante para a educação, o secretário não deu muita atenção para o tema e preferiu fazer críticas à atriz da Globo. Benjamin ainda fez comentários surpreendentes sobre o racismo. Ele disse, por exemplo, que o racismo foi inventado.

Secretário que criticou Taís Araújo diz que racismo é invenção dos Estados Unidos

Em seu Facebook, o secretário de Educação chegou a dizer que o preconceito teria sido criado nos Estados Unidos. Em seguida, ele relacionou essa "invenção" com os discursos feitos pela esposa de Lázaro Ramos, que atualmente comanda o 'Mister Brau'. Isso porque a atriz disse , durante uma palestra no evento TEDXSão Paulo, que “a cor do meu filho faz com que as pessoas mudem de calçada”.

Secretário diz que argumento de Taís Araújo é idiotice racial que prosperou

O secretário afirmou que hoje qualquer argumento de "idiotice racial" acaba prosperando.

Em seguida, citou o episódio em que Taís Araújo garantiu que quando o seu filho passa nas ruas, as pessoas chegam a mudar de calçada e disse que a atriz era muito "cheirosa". Taís foi muito criticada pela fama que fez no ano passado e apenas agora repercutiu. Algumas pessoas acharam que ela exagerou ao tratar o tema racismo e que no Brasil ninguém troca de calçada ao ver um negro, até porque mais da metade da população é negra, o que poderia obrigar o racista a nem andar nas ruas.

A atriz da Globo não comentou a situação de ser atacada por um profissional ligado à educação.

E você, o que pensa sobre o assunto? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas relevantes.