A ministra e presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), [VIDEO]Cármen Lúcia, está insatisfeita com a falta de dados que deveriam ser entregues para ela através de vários Tribunais de Justiça. Com isso, Cármen concedeu um prazo de apenas 48 horas para que lhe seja dado holerites de juízes de todo o Brasil para avaliar se há Corrupção e valores exorbitantes através de levantamento do Supremo.

A presidente da Suprema Corte disse que no dia 20 de outubro ela entregou uma planilha, mas até agora não recebeu as informações que precisa referente ao mês de novembro e dezembro de 2017. Ela deseja que em 48 horas essas informações sejam cumpridas, caso contrário, a ministra disse que será obrigada a acionar órgãos oficiais.

Ao comentar sobre o holerite dos juízes, a ministra avaliou que essa demora na entrega poderia passar a impressão de que os tribunais estão agindo com desleixo para com os brasileiros. Cármen enfatizou que seu desejo antes do ano acabar é entregar todos os dados para a sociedade analisar e observar que os juízes estão cumprindo seu papel. Cármen quer que a população brasileira tenha ''confiança'' no Judiciário.

Horrorizada

Cármen Lúcia observou vários sites de tribunais e disse que ficou horrorizada quando percebeu a dificuldade que as pessoas teriam para chegar até a informação. Ela acredita que órgãos estão dificultando o acesso para que as pessoas não conheçam os respectivos salários de juízes e magistrados. Em um site, a ministra disse que foi necessário clicar cerca de 18 vezes para chegar na informação desejada e ela garante que isso não deveria ocorrer.

Cármen disse que necessita de rapidez nos dados para mostrar que nem todos os gastos de juízes ultrapassam as barreiras e são ilegalidades. A ministra enfatiza que não compactua com nenhum tipo de irregularidades, e isso seria a ''prova'' que a população precisa. Além do mais, a magistrada disse que os tribunais devem sim mandar os dados devidamente, caso contrário, a lei será cumprida [VIDEO], ou então algo de muito ruim poderá acontecer e ''estourar'' no Brasil.

Várias esferas do Judiciário participam, entre eles estão as classes: Federal, Militar, Estadual, Eleitoral e Trabalhista.

Sobre a Justiça Estadual, apenas sete tribunais entregaram os dados com um prazo menor que 18 horas. Os estados foram do Paraná, Espírito Santos, Amazonas, Minas Gerais, Roraima, Pará e Pernambuco.

Na Justiça Federal, apenas o estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul encaminharam os dados. Conforme as informações vão sendo entregues, tudo será devidamente publicado para a população.